Jaguarão sediará Abertura Oficial da Colheita do Milho do RS

Evento, que ocorre tradicionalmente na região Noroeste do estado, terá a 10ª edição realizada na Fazenda São Francisco, em Jaguarão. (Foto: Paulo Lanzetta/Embrapa)

O ano de 2023 ganha novidades na agricultura: o mês de fevereiro inicia com o dia 1° do mês agendado para a 10ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Milho, tradicionalmente realizada na região Noroeste do estado e que agora, terá a Metade Sul do RS como forte aliada na produção do cereal. A Fazenda São Francisco, localizada no 2º Subdistrito, estrada Charqueadas, em Jaguarão, será o centro da atenção para mostrar o que há de mais moderno em pesquisa agropecuária para o milho, cultura que precisa restabelecer sua produtividade no RS. A defasagem entre a produção e o consumo de milho está além dos dois milhões de toneladas, o que equivale a uma área superior a 200 mil hectares, considerando-se que a produtividade da Fazenda São Francisco vem superando 10 ton/ha.

Para mostrar as alternativas que a pesquisa agropecuária viabiliza para os produtores rurais, os visitantes poderão conhecer na área das lavouras demonstrativas as cultivares P3016 VYHR – Pioneer, P1225 VYHR – Pioneer. A cultivar que será colhida oficialmente será a P1225 VYHR, simbolizando a Abertura da Colheita.

Neste espaço serão explicadas como foram aplicadas as tecnologias de suavização do solo, permitindo maior domínio no manejo da água (drenagem e irrigação por superfície) que até então era um dos grandes problemas nas terras baixas; plantios usando a tecnologia sulco-camalhão (possibilita a irrigação na cultura), assim como, o uso da condução e distribuição da água através de politubos, que proporciona melhor controle e menor consumo d’água; e ainda, a utilização da tecnologia LEPTRA para sementes ao permitir proteção contra as lagartas do milho.

“O somatório dessas tecnologias, nos permitem produzir milho na região de terras baixas, com produtividade, tornando a cultura viável. Esse é o nosso grande diferencial com a cultura do milho tradicional, cultivado em regiões de maior altitude, que pode neste momento ser cultivado em rotação com arroz irrigado”, disse o responsável técnico da Fazenda São Francisco, Paulo Nolasco.

A propriedade foi indicada pelo pesquisador da Embrapa José Maria Barbat Parfitt, responsável pelo desenvolvimento e condução da tecnologia sulco-camalhão. “A propriedade é parceira do Projeto SULCO e vem experimentando incremento de produtividade na cultura do milho, após dois anos de parceria”, diz Parfitt.

O Projeto

O Projeto SULCO, parceria público-privada, visa difundir as tecnologias de suavização do terreno e a técnica de sulco-camalhão na rotação de culturas em terras baixas. Os resultados obtidos em lavouras de soja de produtores parceiros, em diferentes regiões do estado, permitiram um ganho aproximado de 30 sacas/ha em relação ao sistema tradicional.

Seu foco é indicar aos produtores de soja e milho em rotação com o arroz, soluções tecnológicas para enfrentamento aos estresses hídricos (solos secos ou encharcados).
O Projeto foi desenvolvido em diversas lavouras experimentais (entre 15 e 40 ha) com a cultura da soja e do milho, envolvendo a RiceTec, em Capão do Leão; a Granja 4 Irmãos em Rio Grande; a Granja Sossego, em Formigueiro; a Fazenda São Francisco, do Grupo Quero-Quero, em Jaguarão; a Agropecuária Harmonia, em Cachoeira do Sul; a Agropecuária RT em Dom Pedrito, entre outras.

Atividades do evento

Um grupo de instituições públicas e privadas e grupos organizados da sociedade se articulam desde o início do segundo semestre de 2022 para o planejamento e infraestrutura da 10ª Abertura da Colheita. Previamente, estão programados roteiros técnicos com quatro estações demonstrativas sobre o cultivo de milho irrigado no sistema sulco-camalhão em terras baixas; visitação aos estandes dos apoiadores e patrocinadores; ato solene de Abertura da Colheita com a presença de autoridades e almoço na Fazenda São Francisco.

O evento é uma promoção da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) do Estado, APROMILHO/RS, Prefeitura Municipal de Jaguarão e Fazenda São Francisco. A iniciativa tem o apoio da Embrapa, Irga, Emater/RS-Ascar, Farsul e Sindicato Rural de Jaguarão. Os patrocinadores são Massey Fergusson; Piper BR; Trimble; Pioneer; KLR e Centeno AgroInteligência.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome