Jaguarão: Padre Waldeir da Paixão é afastado para “Ano de Discernimento”

Padre passará por um “ano de discernimento”, iniciado na quinta-feira (29). (Foto: Juliana Lima/JTR)

Uma notícia no final do mês de novembro surpreendeu os jaguarenses. O pároco da Igreja Matriz do Divino Coração, Waldeir Paixão Silva, será afastado temporariamente das atividades católicas e terá que deixar o município.

Essa ação, segundo apuradas pela reportagem, se deu pelo fato de ter sido realizada uma denúncia de que o líder católico não possui perfil de Padre.

De lá para cá muitos manifestos em defesa dele foram realizados na cidade. Em uma semana, foram colhidas mais de três mil assinaturas e mais de 40 cartas relatando a importância do sacerdote e o trabalho na comunidade. Segundo informações, os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário também se manifestaram, tentando marcar entrevista com o Arcebispo Metropolitano Dom Jacinto Bergmann, mas sem sucesso.

Uma nota publicada no dia 15 de dezembro, assinada pelo Arcebispo e Vigário Geral Padre Luis Amarildo Boari indica que o Conselho dos Presbíteros e o Arcebispo, após “várias reuniões de oração e reflexão, chegou à conclusão e determinação, por motivos bem enraizados, de propor e pedir ao Pe. Waldeir Paixão Silva um ‘Ano de Discernimento’”.

Para isso, ainda segundo a nota, seria publicado um “decreto de dispensa do Ministério da Arquidiocese” por um ano, a contar do dia 29 de dezembro.

O texto ainda indica que “não há nenhum julgamento do bom trabalho, em várias dimensões”, no entanto, salienta que “há dimensões, devidamente consideradas com ele, e que precisam ser trabalhadas. Isso para o seu bem e para o bem da Igreja!”. A nota é encerrrada afirmando que, para a decisão “primou-se em entender a necessária ajuda pela “evangélica correção fraterna”, evitando narrativas não-verdadeiras e não condizentes”.

No domingo (25) após a missa das 18h, populares se reuniram no Largo das Bandeiras, localizado em frente à Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, para prestar sua última homenagem ao padre.

Após a missa realizada no domingo (25), populares reuniram-se na frente da
Igreja como forma de apoio ao pároco. (Foto: Beto Fotografia)

A reportagem do Jornal Tradição Regional entrou em contato com a Arquidiocese de Pelotas para obter mais detalhes sobre a decisão, mas recebeu como resposta a nota já citada.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome