Leonenses representam o RS na 13ª Conferência Nacional de Assistência Social

Para os conselheiros Nazi Medeiros e Sidney Rosa temas trabalhados na conferência devem ser transformados em projeto. (Foto: Divulgação)

Os conselheiros municipais Sidney Rosa e Nazi Medeiros, participaram entre os dias 5 e 8 de dezembro da 13ª Conferência Nacional de Assistência Social, em Brasília, com o tema “Reconstrução do Sistema Único de Assistência Social – SUAS. O SUAS que temos e o SUAS que queremos”. Eles já haviam sido escolhidos delegados na Conferência Municipal e consequentemente na Conferência Estadual.

Na ocasião, cinco eixos foram discutidos: Financiamento, Controle Social, Articulação entre Segmentos, Serviços e Programas e Projetos, Benefício e Transferência de Renda. Segundo os conselheiros, as conferências são programadas junto com os conselhos como forma de controle de políticas públicas sociais do país, impostas na Constituição de 1988. No entanto, a edição deste ano não estava prevista.

“Entretanto o governo federal entendeu que as interpretações dos relatórios da conferência de 2021 não traduziu a realidade do país. Isso significa que a cidadania é a terceira perna do banco da seguridade social, que é formada pela previdência, saúde e assistência social. Quando uma dessas pernas é quebrada o banco desequilibra e cai”, justificou Rosa, que continuou: “Com a fixação de tetos no orçamento do governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), ficou estabelecido que a cidadania não precisaria de mais recursos do governo federal, o que não condiz com a realidade do povo brasileiro”.

Por entendimento do governo federal em reciclar essa atividade, houve a necessidade de se convocar as conferências municipais, depois a estadual até se chegar a nacional. “O sucesso na Conferência Municipal e na Conferência Estadual nos levou até Brasília onde tiramos a essência deste tema debatidos a nível de Brasil, no qual constatamos tamanha adversidade em nosso país com a necessidade de igualdade para todos, independente da região”, disse Nazi.

Para ambos, os cinco eixos que foram trabalhados na Conferência em Brasília devem surgir em forma de projeto para atender melhor a comunidade. Além de falarem sobre a experiência que tiveram na capital federal, eles destacaram o suporte que tiveram da Secretaria Municipal de Assistência Social, com a secetária Beatriz Sedrez e o prefeito Vilmar Schmitt

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome