Capão do Leão: Cantor leonense Jorge Farias é homenageado com nome em rua

Músico e compositor, Jorge Teixeira Farias participou de festivais e teve letras gravadas por artistas nacionais. (Foto: Arquivo Pessoal)

A rua Dois do loteamento Residencial Sena, no bairro Jardim América, passou a chamar-se Jorge Teixeira Farias. A homenagem ao músico leonense que cativou muitos jovens pelo seu talento e alto astral nas décadas dos anos 70 e 80, foi do vereador, e também músico, David Martins (PTB), através do projeto de lei 0019/2021, aprovado por unanimidade em plenário.

Aos 57 anos, Farias, morreu trabalhando, vitima de acidente de trânsito. Além de músico, cantor e compositor, era funcionário de carreira da Prefeitura de Capão do Leão, onde exerceu as funções de escriturário, inspetor de alunos e motorista. Sua vocação musical aflorou aos 13 anos, tornando-
se músico multi-instrumentista, mas foi a partir de 1978 que sua carreira profissional decolou.

Como músico e compositor suas letras foram gravadas por diversos artistas, dentre eles Sidney Lima, morto em 1989, também vitima de acidente de automóvel, Grupo Pialo, Marinês Siqueira, Neri Batista, entre outros.

Farias também passou por várias bandas de sucesso da época, dentre elas: The Angels, Os Play Boys, Terra e Vento, Cruzeiro do Sul, Spontaneous, Banda Reflexus, Banda Reprise e Banda Kesini. Gravou cinco álbuns contendo músicas de sua autoria, incluindo canções apresentadas no 1º Festival de Música Sertaneja de Pelotas, em 1983. No 1º Rodeio da Canção Nativa de Capão do Leão, em 1988, recebeu o prêmio de “Canção Mais Popular”, com a música “Peão Campeiro”, regravada, posteriormente, por diversos artistas.

O cantor Silvinho conviveu ao lado de Farias por 15 anos no grupo Cruzeiros do Sul, e sentiu muito a morte do amigo. “Ele adorava o Capão do Leão. Era uma pessoa de um grande coração. Esbanjava talento, tanto tocando instrumentos como cantando. Era um músico completo, além de excelente compositor”, lembrou, destacando que em 1988 a banda participou de turnê pelo estado de Mato Grosso, sendo atração musical em vários palcos do Centro-Oeste, onde só apresentavam-se cantores e bandas de renome nacional. No momento da apresentação, Farias era o porto seguro do grupo, incentivando e dando coragem aos demais músicos. “Ele dizia que chegava a hora de mostrarmos o melhor de nós, e dava sempre certo. Ele era nosso líder. Dava-nos aquela palavra de incentivo e coragem nos momentos de dificuldade”, explicou.

Dentre suas inúmeras composições, a canção “Dois Errantes e Um Culpado”, se destacou nacionalmente na voz do saudoso Sidney Lima. Farias, era filho de Ildefonso Neves Farias e Inês Teixeira Farias e irmão de Gilberto, Gilda, Idelma, Jane, Leda e Iane. Em 1979, casou-se com Luci Helena de Oliveira Farias. O casal teve uma filha, Marla de Oliveira Farias. Em 2010, nasceu sua neta, Rafaela Farias da Silva.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome