Trabalho, Habitação e Desenvolvimento Social: Secretário realiza balanço de ações da pasta em Arroio Grande

Secretário Inácio Lima falou também sobre projetos futuros para a pasta. (Foto: Jecé Moreno)

Dando continuidade à série de entrevistas com o secretariado de Arroio Grande, Inácio Lima, responsável pela condução da Secretaria Municipal do Trabalho, Habitação e Desenvolvimento Social apresentou um balanço dos 11 meses de trabalho junto à Gestão Municipal.

Em sua trajetória, Lima já atuou nas secretarias de Saúde, Fazenda e Geral de Governo, acumulando uma grande experiência na administração pública. À frente da pasta do Trabalho, Habitação e Desenvolvimento Social, ele aponta que buscou montar uma equipe para atuar nas demandas prioritárias da comunidade, baseado no respeito ao dinheiro público e transformando os recursos em benefícios para a comunidade, e o bom atendimento à população. Assim que assumiu a pasta, Lima lembra que se deparou com uma realidade complexa no que diz respeito ao déficit habitacional. Para isso, junto da administração municipal, implementou o Minha Casa, Meu Lar, programa que deve chegar até o final do ano com 25 residências entregues e mais de 200 famílias assistidas com reformas, algumas com mão de obra do próprio beneficiado. “É muito gratificante ver a felicidade das pessoas. Isso tem sido nosso combustível para seguir com o trabalho”, destaca Lima.

Para o início da execução do programa, buscou-se aumentar o Fundo Municipal de Habitação, através de um entendimento da Secretaria de Finanças e do Executivo Municipal, com a aprovação da Câmara de Vereadores, possibilitando que o município também fomentasse o fundo, processo considerado primordial para a implementação do programa.

Nesse sentido, o secretário manifesta o desejo da execução de um programa para a construção de Casas Populares, mas que a falta de recursos no âmbito estadual e nacional impossibilita a viabilização de projetos nesse sentido, o que considera um erro diante da necessidade apresentada em nossa região.

Mesmo assim, o município organiza em torno de 100 lotes de terreno com infraestrutura de luz, água e esgoto para receber projetos habitacionais que venham a ser estimulados nas esferas estadual e federal. Considerado um ano atípico por conta da pandemia, o cenário fez com que a vulnerabilidade aumentasse. Por isso, algumas políticas públicas foram potencializadas, como o Cartão Cidadão, que proporciona renda para 481 beneficiários, a entrega de cerca de 350 cestas básicas por mês e o trabalho realizado nos Restaurantes Populares,  sendo evidenciado um pico de mais 5 mil refeições entregues entre os meses de março e junho, ponto alto da pandemia no município.

A previsão é que em 2022 seja feito um novo cadastramento do Cartão Cidadão, com um reajuste do valor que é concedido aos beneficiários, política pública considerada essencial pelo secretário. Lima salienta a parceria do comércio local, onde diversas empresas têm colaborado com a doação de alimentos, que são distribuídos pela Secretaria.

O Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), é um dos órgãos que também atua sob gestão da pasta, proporcionando aos usuários aulas de música, dança, oficinas e a profissionalização, através de cursos em parceria com o Sindicato Rural via Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-RS), estendendo o serviço para os bairros e atendendo cerca de 50 pessoas.

Já no CREAS, é feito o atendimento de proteção especializado as famílias. Em 2021, foram registrados quase 2,7 mil atendimentos de violência física e psicológica em idosos, mulheres e crianças. “A questão da violência contra as mulheres nos preocupa, tanto que, com o aval do prefeito, vamos inaugurar, em parceria com o Levante Feminista e Sicredi, uma Casa de Acolhimento para mulheres vítimas de violência”, informou Lima.

Em relação a projetos futuros, há uma previsão para a inauguração de um novo Restaurante Popular que está em fase de construção na Zona Sul, contemplando os moradores do bairro Promorar, Novo Milênio e arredores. A meta é que até junho de 2022 o local esteja em funcionamento.

Outro trabalho que deve ser reativado é o Centro de Convivência do Idoso (CCI), que no último ano foi utilizado como Centro de Referência para o atendimento aos pacientes com Covid-19. O trabalho deve ser retomado a partir de fevereiro. O secretário celebra o bom relacionamento com o Poder Legislativo, que, segundo ele, não mede esforços para aprovar os projetos que envolvem a Secretaria, dando celeridade ao que é de interesse para a população.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome