Comunidade de Santa Isabel cobra ajuda da Prefeitura de Arroio Grande

O Executivo se manifestou sobre o caso por meio de nota. (Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa)

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Um grupo de moradores de Santa Isabel foi até a Câmara de Vereadores de Arroio Grande, na manhã desta segunda-feira (17), cobrar que a Prefeitura atenda as famílias afetadas pela cheia da Lagoa Mirim. Conforme lideranças comunitárias, apenas 72 das 180 famílias atingidas foram cadastradas pela assistência social do município, enquanto os demais seguem sem poder acessar qualquer benefício do governo Federal ou Estadual.

“Desde o dia 4 de maio, os pescadores estão sem ter para quem vender sua produção, pois os compradores foram afetados pelas enchentes na região metropolitana de Porto Alegre. Estamos sem dinheiro para pagar as contas básicas e não fosse pelas doações que recebemos, muitos estariam em sérias dificuldades”, afirmou a líder comunitária Indiara Kerchiner.

Para o vereador João Cezar Larrosa (PT), a comunidade deveria ser prioridade da Prefeitura, uma vez que é a única a permanecer inundada no município. “É incompreensível essa demora em cadastrar todos os moradores e permitir que essa comunidade, responsável por movimentar a economia do município através da pesca, esteja passando por tamanha dificuldade. A Prefeitura precisa ser mais ágil para atender essas pessoas”, afirmou.

Em nota, o Executivo Municipal afirmou que os dados de cadastramento na comunidade fornecidos pelas lideranças comunitárias não são verídicos. Além disso, garantiu que a Secretaria Municipal do Trabalho, Habitação e Desenvolvimento Social está com as equipes mobilizadas para agilizar o processo, dando prioridade para os moradores de Santa Isabel.

Leia na íntegra a nota da Prefeitura de Arroio Grande:

“A Prefeitura de Arroio Grande, através da Secretaria Municipal do Trabalho, Habitação e Desenvolvimento Social, informa que, desde o início da abertura dos cadastros para os programas tanto da esfera Estadual como Federal, mobilizou suas equipes para agilizar o cadastramento, dando prioridade para os moradores da comunidade de Santa Isabel.

Os dados apresentados na matéria não condizem com o número de cadastros efetuados pela Secretaria. Até o presente momento, das 180 famílias, 120 já foram cadastradas, e o restante está em andamento devido à falta de atualização do CadÚnico dos usuários, situação que as equipes estão empenhadas em resolver.

Cabe ressaltar que o cadastramento no programa Volta Por Cima Estadual, que necessita do cruzamento de dados do CadÚnico para recebimento, começou dia 7 de junho, alcançando 80% dos atingidos em dois dias. Para o cadastramento no Auxílio Reconstrução do governo Federal, foi efetuada uma frente de trabalho especial para a inserção dos moradores.

A Secretaria ainda informa que os critérios de enquadramento para o recebimento dos auxílios não são determinados pela Prefeitura, mas sim pelos critérios de cada programa ou pelos dados fornecidos no CadÚnico”.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome