Um pouco da história de Arroio do Padre

O antigo distrito de Pelotas (10º) foi emancipado em 17 de abril de 1996. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

O ano era 1996. Um plebiscito (voto do povo) decidiria o futuro político de partes da então Colônia Triunfo, 10º distrito de Pelotas. Inconformados com o descaso da Prefeitura, a população foi às urnas para pedir a emancipação das porções Norte e Sul da Colônia, dando origem aos municípios de Triunfo do Sul e Arroio do Padre, respectivamente.

O sim foi favorável a Arroio do Padre e a emancipação ocorreu por decreto-lei, publicado em 17 de abril do mesmo ano, data de fundação do município. A instalação da administração municipal ocorreu em 1º de janeiro de 2001, assumindo o cargo de prefeito, Almiro Buss e de vice-prefeito, Gilnei Fischer. Com 28 anos, o município está na sexta gestão atualmente.

A população do município – de quase 3 mil habitantes – é formada, em sua maioria, por descendentes de pomeranos. Mas, nem sempre foi assim. Antes da colonização pomerana, iniciada na região em 1868, as terras de Arroio do Padre eram habitadas por índios Tapes e Carijós (tupi-guaranis).

A população do município – de quase 3 mil habitantes – é formada, em sua maioria,
por descendentes de pomeranos. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

Controvérsias cercam a origem do nome do município. Três versões ligam a relatos relacionados à figura de um padre, morador destas terras, mas nenhuma delas está fundamentada até hoje em pesquisa ou documentos.

Por ocupar uma área que faz divisa apenas com Pelotas, é considerado como um município enclave – um dos quatro existentes hoje no Brasil. As informações estão contidas no livro “Arroio do Padre: nosso espaço, história e cultura”, de autoria de Cássia Raquel Beiersdorf.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome