São Lourenço do Sul: Em busca de recursos para o novo campus, direção da FURG se reúne com vereadores

Nas reuniões, a dupla tem apresentado aos membros do legislativo um portfólio com a planta e o projeto das novas instalações, demonstrando a importância da ampliação do campus. (Foto: Divulgação)

Com o intuito de aproximar a universidade do poder Legislativo e estabelecer um diálogo a favor de recursos para a construção do novo espaço físico do Campus São Lourenço do Sul da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), o diretor, Eduardo Vogelmann, e a vice-diretora, Carmem Porto, vêm realizando visitas a todas as bancadas da Câmara de Vereadores do município.

Nas reuniões, a dupla tem apresentado aos membros do Legislativo um portfólio com a planta e o projeto das novas instalações, demonstrando a importância da ampliação da FURG para a região, bem como a necessidade de união entre todos para a conclusão das obras. Até o momento, a diretoria já foi recebida pelas bancadas do PSDB, PDT, PSB e PP, e solicitou agenda com representantes do PT e MDB.

As obras do novo campus tiveram início em outubro de 2021. O local está sendo edificado às margens da RS-265, em trecho situado entre a zona urbana e o trevo da BR-116. Atualmente, a universidade dispõe de um orçamento de R$ 4.329 milhões, destinado à construção do pórtico de entrada, que já teve a sua construção finalizada, e ao primeiro pavilhão de salas de aula, com conclusão prevista para outubro de 2023.

Em busca de mais recursos financeiros para viabilizar a construção do conjunto de edificações que irão compor o novo campus, Eduardo e Carmem têm proposto aos vereadores uma interlocução com representações políticas e o Ministério da Educação (MEC). “Essa nossa fala com as diferentes bancadas é no entendimento de que os vereadores são representantes da população de São Lourenço e que a viabilização do campus na cidade promove o desenvolvimento regional”, explica a vice-diretora.

Ela enfatiza que a ampliação do campus traz benefícios para São Lourenço do Sul e municípios vizinhos. “É importante porque o campus recebe estudantes de diferentes lugares, mas está voltado para o atendimento da região. Os nossos cursos foram pensados para atender o território Zona Sul, e os estudantes e servidores que vêm para cá contribuem para o desenvolvimento do município também. Movimentam a economia e além dela, o desenvolvimento socioambiental por meio da produção de conhecimento na universidade”, aponta Carmem.

A prioridade da diretoria é que sejam captados recursos suficientes para a construção da Casa do Estudante Universitário (CEU) e do Restaurante Universitário (RU). A vice-diretora destaca que o RU é uma demanda antiga dos estudantes do Campus São Lourenço do Sul e que, caso fosse instituído, fomentaria os circuitos curtos de comercialização. “Um RU dentro da universidade tem a possibilidade de vincular a compra de alimentos da agricultura familiar, tão importante no município de São Lourenço”, ressalta.

Além do restaurante e da CEU, o desenho apresentado também contempla projetos para construção de prédios para laboratórios e salas de permanência.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome