Rio Grande é uma das duas cidades da região sul presentes no Mapa Brasileiro do Turismo

O município compõe a Costa Doce Gaúcha junto com Santa Vitória do Palmar, as únicas cidades da região sul do Estado presentes no mapa. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Rio Grande)

Nesta semana, Rio Grande foi novamente certificado pelo Ministério do Turismo (MTur) como parte do sistema de informações do Mapa do Turismo Brasileiro. A emissão é realizada pelo Programa de Regionalização do Turismo e dos Interlocutores Estaduais e também reconheceu o Conselho Municipal de Turismo de Rio Grande como registrado no sistema. O município compõe a Costa Doce Gaúcha com Santa Vitória do Palmar, as únicas cidades da região sul do Estado presentes no mapa. A certificação é válida por um ano.

Conforme exposto no site do governo Federal, o Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento no âmbito do Programa de Regionalização do Turismo que define a área – recorte territorial – a ser trabalhada, prioritariamente, pelo Ministério do Turismo no âmbito do desenvolvimento das políticas públicas. Esse mapeamento permite uma visão ampla do potencial turístico brasileiro, facilitando a gestão e a distribuição de recursos de forma mais eficaz.

Além disso, com a intenção de identificar o desempenho da economia do setor, as cidades também são subdivididas em cinco categorias, de “A” a “E”, sendo os municípios considerados de categoria “A” aqueles com os melhores resultados do país, calculados a partir de uma série de critérios. Neste contexto, Rio Grande está incluso na categoria B, o que é considerado um resultado positivo.

“É uma ótima categorização devido, principalmente, à boa oferta dos meios de hospedagem, a chegada de visitantes internacionais, que devido ao Porto, faz com que o turismo de negócios seja muito intenso durante todo ano, e também ao fato do poder público preencher todos os requisitos solicitados pelo Ministério do Turismo. Dessa forma, a categoria B nos destaca não apenas pela nossa rica história e belezas naturais, mas também pelo fortalecimento da economia e oportunidades no setor”, avalia a turismóloga da Secretaria de Desenvolvimento, Inovação e Turismo, Andrea Burguez.

A certificação é válida por um ano. (Foto: Divulgação)

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome