Mercado pecuário gaúcho retoma atividades com preços 30% menores de antes das enchentes

Os preços do mercado de gado estão 30% abaixo do que vinha sendo praticado antes das enchentes. (Foto: Divulgação)

O mês seguinte ao da tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul está sendo de retomada lenta e gradual para o mercado de gado, com preços 30% abaixo do que vinha sendo praticado. A visão, a curto prazo, não é muito otimista.

A opinião é do leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva. Para ele, a tendência de melhora acontece a médio e longo prazo. “Uma coisa que está dificultando nesse momento é justamente o apoio, não só do governo do Estado, mas também do governo Federal”, afirma o leiloeiro. Silva diz também que é fundamental que o governo Federal entenda que o agro é responsável por grande parte do PIB brasileiro.

O leiloeiro fala ainda sobre o ânimo dos colegas leiloeiros. “Estamos procurando não perder o otimismo e eu te diria que essa alma do gaúcho, esse espírito do gaúcho vai superar essa crise. Vai ficar uma cicatriz profunda, sem dúvida”, estima, lamentando que não foram só aqueles dez dias, mas isso vai continuar por muito tempo ainda, até que as coisas normalizem.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome