Chuvas reforçam variabilidade do potencial produtivo da soja no Estado

A área cultivada de soja no Estado é de 6.513.891 hectares. (Foto: Rafael Dias/Divulgação)

A irregularidade e a má distribuição de chuvas voltaram a se repetir no período entre 06 e 12 de março, reforçando a grande variabilidade do potencial produtivo dentro de uma região e entre as regiões produtoras de soja do Estado. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (16), foi possível observar com maior precisão as perdas de produtividade causadas pela estiagem em função do início da colheita e rápida evolução das lavouras para o estágio de maturação, que provocou a queda das folhas na finalização de ciclo.

A colheita aproximou-se de 1% da área total de cultivo. As lavouras encontram-se predominantemente em fase de enchimento de grãos (54%). Em maturação são 20% das lavouras, em parte destas, os produtores realizam aplicações de herbicidas dessecantes para uniformizar a maturação. Outros 23% estão em fase de maturação e apenas 5% ainda em germinação e desenvolvimento vegetativo. Já para a colheita, os produtores aguardam o período de carência de aproximadamente dez dias para evitar resíduos nos grãos acima do limite tolerado. Outro objetivo da dessecação se refere ao controle de plantas daninhas estabelecidas após o aumento das chuvas registradas no final de fevereiro e que poderão causar problemas na operação de colheita.

Os resultados dos talhões colhidos, ainda incipientes, apontam produções entre 300 e 3.000 kg/ha, confirmando uma grande amplitude nos resultados individuais da safra. A área cultivada de soja no Estado é de 6.513.891 hectares. A produtividade revista é de 2.175 kg/ha, representando um decréscimo de 30,52% nos 3.231 kg/ha inicialmente contabilizados.

A produtividade do milho foi afetada pela insuficiência de umidade nos meses de verão, que culminou com o período reprodutivo das lavouras. Nos casos de maior restrição hídrica, as fases vegetativas foram afetadas, inviabilizando a produção.
O período de 06 a 12 de março foi mais seco do que os dois anteriores. Em decorrência dessas condições climáticas, alguns cultivos em safrinha já demonstraram sintomas de restrição de umidade.

A colheita teve prosseguimento e alcançou 68% da área cultivada, outros 11% estão em fase de maturação, 12% em enchimento de grãos, 6% em floração e 3% em germinação e desenvolvimento vegetativo. A área cultivada de milho é de 810.380 hectares. A produtividade foi recalculada em 4.440 kg/ha, representando redução de 39,49% em relação à projeção inicial.
A colheita do arroz está em fase inicial e alcança 19% da área. As lavouras em maturação totalizam 54%, outros 23% estão em enchimento de grãos e apenas 4% ainda em floração.

A produtividade é variável, condicionada principalmente pela disponibilidade de irrigação ao longo do ciclo produtivo das lavouras. A área cultivada é estimada em 889.549 hectares. A produtividade estimada é de 7.744 kg/ha, representando uma redução de 5,86% na projeção inicial.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome