Para Zé Nunes (PT), venda do Banrisul Cartões vai enfraquecer o banco

Deputado Zé Nunes em discurso. (Foto: Divulgação)

O Banrisul anunciou operação para captação de investidores para a sua subsidiária Banrisul Cartões. Em fato relevante, a empresa informou que a operação poderá envolver a alienação de ações de emissão da Banrisul Cartões, inclusive representativas do seu controle acionário.

Além disso, também há possibilidade de ser realizada por meio de aumento de capital a ser subscrito por terceiros, alienação primária de ações de emissão do Banrisul Cartões, operações de fusão, cisão, incorporação, incorporação de ações, combinação de negócios, joint ventures, alienação de ativos, acordos comerciais, em uma única operação ou em uma série de operações e outras estruturas jurídicas e financeiras a serem estabelecidas pelo Conselho de Administração oportunamente.

Para o presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público da Assembleia, deputado estadual Zé Nunes (PT), a importância da Banrisul Cartões pode ser medida pela sua participação no lucro líquido do Banrisul consolidado: Entre 2015 e 2020, o Banrisul Cartões foi responsável por 24% dos lucros do banco.

“O cartão é uma subsidiária do banco com muita importância para os gaúchos, está presente em todos os lugares, e representa um instrumento de crédito barato. É mais uma ação para o caminho do enfraquecimento do banco”, alertou. Ele considera fundamental que o presidente do banco, Cláudio Coutinho, preste esclarecimentos aos deputados sobre esta ação que envolve o banco, cujo controle acionário é do Estado do Rio Grande do Sul.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome