Qual a chance de nevar no Sul e no Centro do Rio Grande do Sul?

Modelos indicam a maior possibilidade de um evento de neve do Centro para o Sul gaúcho desde 2013. (Foto: Arquivo/Ricardo Wolffenbuttel/Secom/Governo Santa Catarina)

Por MetSul Mereorologia

Pode nevar no Centro e no Sul do Rio Grande do Sul? Estas regiões já viram neve em diversas oportunidades no passado, contudo a frequência de ocorrência de neve no Centro e no Sul do território gaúcho é muito menor que no Nordeste gaúcho, onde as altitudes são muito mais altas e chegam a 1.400 metros no caso de São José dos Ausentes.

Em massas de ar polar de grande intensidade, como será esta, e havendo instabilidade, o que é uma possibilidade durante algumas horas neste episódio de ar gelado que se acerca, abre-se a chance de vir a nevar em localidades do Sul gaúcho e até do Centro do Estado

Modelos numéricos têm indicado, desde a semana passada, em diversas rodadas algumas simulações possuem até quatro saídas diárias, a possibilidade de ocorrer neve em pontos do Centro e do Sul do Rio Grande do Sul, mas, em especial, no Sul do território gaúcho.

O modelo WRF da MetSul, em sua última saída, da 0Z de hoje, aponta em sua projeção a ocorrência de neve para pontos do Sul gaúcho, como, por exemplo, em Bagé, Pedras Altas, interior de Dom Pedrito, Candiota, Pinheiro Machado, Herval e Piratini durante a quarta-feira.

Mais do que isso, o modelo WRF em sua saída da madrugada de hoje sinalizou a chance de neve também em cidades do Centro do Estado como, por exemplo, Caçapava do Sul, Encruzilhada do Sul e mesmo em pontos de Pantano Grande.

É muito raro ver modelos meteorológicos indicando neve para estas elevação a Sudoeste de Porto Alegre. O modelo norte-americano GFS indicou o mesmo cenário e até com chance de neve em pontos mais a Oeste do Centro gaúcho como a área de Itaara.

Para onde todos os modelos numéricos convergem em indicar uma maior probabilidade de neve é para o Nordeste gaúcho, em áreas da Serra e principalmente dos Aparados da Serra.

O modelo WRF indica o maior potencial de neve, sinalizando até mesmo chance de acumulação, em municípios como São Francisco de Paula, Jaquirana, Bom Jesus, São José dos Ausentes, Cambará do Sul e Vacaria.

ESPETÁCULO EM 2008

Ao menos dois eventos de neve foram marcantes no Centro-Sul do Rio Grande do Sul nos últimos vinte anos, sendo o principal deles quase no final do inverno de 2008. No dia 5 de setembro de 2008 os moradores da região tiveram horas memoráveis.

Neve granular, neve em flocos e precipitação de chuva congelada foram registradas desde o período da manhã em cidades da Metade Sul gaúcha naquele dia de 13 anos atrás.

Houve registro de neve granular e chuva congelada em pelo menos catorze cidades da Metade Sul gaúcha. Santana do Livramento, Herval, Arroio Grande, Hulha Negra, Candiota, Bagé, Aceguá, Dom Pedrito, Morro Redondo e pontos isolados da área urbana de Pelotas tiveram neve granular ou chuva congelada.

Tiveram registro de neve em flocos Pedras Altas, Canguçu, Piratini e Pinheiro Machado. Em diversos pontos destas cidades que tiveram precipitação na forma de flocos, a neve acumulou. Em Pinheiro Machado, a neve durou quase duas horas, o que propiciou a acumulação e belas imagens.

Na cidade de Bagé, em 5 de setembro de 2008, os grãos de gelo chegaram a acumular nos vidros dos automóveis. As escolas registraram a presença de poucos alunos naquele dia devido à decisão dos pais de não enviar os seus filhos para o colégio em razão do frio muito intenso que fazia.

EM 2013, CAÇAPAVA TEVE NEVE DE ACUMULAR

A região Centro-Sul gaúcha voltou a ter neve com acumulação em 2013. Na onda de frio do final de julho que trouxe neve para quase 200 cidades catarinenses e paranaenses, além de 20 do Rio Grande do Sul.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome