Em audiência pública na Assembleia, Equatorial Energia anunciou investimento de 400 milhões nos primeiros 100 dias de gestão

(Foto: Divulgação)

Nesta quinta-feira (23), o grupo Equatorial Energia participou de uma audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Foi a primeira vez que o novo acionista majoritário da CEEE-D detalhou seu plano de investimentos para a companhia. Nos primeiros 100 dias de gestão, a empresa irá direcionar R$ 400 milhões na construção de novas subestações, fontes de suprimento de energia e na ampliação de obras existentes.

Proposta pelo deputado estadual Marcus Vinícius de Almeida (PP), a partir da Comissão de Segurança e Serviços Públicos, parlamentares, prefeitos, vereadores, lideranças políticas e comunitárias acompanharam o planejamento estruturado para expandir o alcance da distribuição de energia e equilibrar as contas da companhia. “Entendemos como fundamental neste primeiro momento do Estado do Rio Grande do Sul conhecer as primeiras ações previstas para a CEEE-D pelo grupo Equatorial, bem como os municípios gaúchos estarem a par dos investimentos direcionados para a sua região. O consumidor tem anseios em ver a tarifa de energia ser aplicada em melhorias e um serviço prestado de qualidade”, pontua.

Representando a CEEE-D, o novo presidente da operação no Estado, Maurício Velloso, frisou que um dos primeiros desafios do executivo será a necessidade de redução das despesas operacionais por consumidor em cerca de 40%. Outro item no radar são as perdas geradas a partir das ligações irregulares, em quantidade considerada acima da média nacional. “Vamos trabalhar forte para diminuir a despesa e trazer o equilíbrio da companhia para que ela possa alavancar investimentos necessários à manutenção e crescimento da concessão”, afirmou.

Em março, a CEEE-D foi vendida em uma leilão pelo valor de R$ 100 mil, o valor baixo para o mercado foi uma contrapartida imposta pela transferência de dívida bilionária que será assumida pela holding.
A estratégia está centrada em 2,4 mil ações mapeadas em 50 áreas de atuação, com melhorias previstas para a gestão comercial, de clientes, financeira, operação e regulação. O objetivo, explica o novo presidente da CEEE-D, que irá manter o mesmo nome e a marca conhecida dos gaúchos, é trazer resultados positivos para o equilíbrio financeiro, diante de um passivo avaliado em R$ 4,1 bilhões no momento da aquisição.

Segundo detalhou a Equatorial Energia, durante a audiência, as novas subestações serão construídas na Zona Norte de Porto Alegre e nas cidades de Santa Vitória do Palmar e Cerro Grande do Sul. As novas fontes de suprimento de energia ficarão na capital gaúcha, e na Região Litoral, nas cidades de Torres e Capivari do Sul. O investimento em uma nova linha de distribuição será localizado em Viamão, na Região Metropolitana e no distrito de Águas Claras. Para as subestações já existentes, será ampliada a produção nas cidades de Osório, Guaíba, Santo Antonio da Patrulha e Porto Alegre.

Com o início da atuação da nova companhia, o ICMS começará a ser pago por ela, o que representará a entrada de R$ 1,3 bilhão nos cofres do governo estadual. Agora, com a incorporação de 1,9 milhão de novos consumidores gaúchos de 72 municípios da Grande Porto Alegre e das regiões Sul, Campanha e Litoral, a Equatorial passa a atuar em 23% do território nacional com uma fatia de 7% do mercado de energia.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome