Bolsonaro anuncia mais R$ 100 milhões para BR-116

Bolsonaro esteve em Pelotas nesta segunda-feira (12) (Foto: JTR)

Na manhã desta segunda-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro compareceu à entrega dos 47 km duplicados na BR-116, junto com autoridades locais, deputados e ministros. Durante o evento, o presidente anunciou mais R$ 100 milhões para a obra ainda este ano.

Além disso, Bolsonaro abordou a questão dos radares e sobre Carteira Nacional de Habilitação. Segundo ele, os radares não irão mais operar a partir da próxima semana e os caracterizou como máquina de multa. ” É uma roubalheira, é uma verdadeira indústria da multa. Estamos com um projeto na Câmara e vai passar por esta bancada maravilhosa (…) Quando um motorista de caminhão, ônibus, táxi, uber perde sua carteira de motorista, ele perde a sua carteira de trabalho”, afirmou.

A lei Rouanet e a produção cinematográfica nacional também foram abordadas durante a cerimônia. “Estamos focados em questões de família. Não admitiremos que a Ancine e a Lei Rouanet façam peças contra interesses e tradição judaico-cristã”, salientou.

Outra questão levantada por Bolsonaro foi sobre as eleições na Argentina. No último domingo (11), foi encerrada as prévias das eleições presidenciais, apontando Alberto Fernández e a sua candidata a vice Cristina Kirchner como vencedores. “A turma da Cristina Kirchner, que é a mesma de Dilma Rousseff, que é a mesma de (Nicolás) Maduro, Chávez e Fidel Castro, deu sinal de vida aqui. Povo gaúcho, se esta ‘esquerdalha’ voltar aqui na Argentina, poderemos ter no Rio Grande do Sul um novo estado de Roraima e nós não queremos isso”, destacou.

Após o discurso de 12 minutos, o presidente atendeu ao público presente, com fotos e abraços, e depois à imprensa, durante uma coletiva. Questionado sobre o descaso das políticas públicas para a Zona Sul do estado, Bolsonaro justificou a “corrupção existente em anos anteriores”. “A falta de infraestrutura é pela roubalheira que tínhamos no Brasil. Quase assalto à mão armada. Olha o que aconteceu com a Petrobras, com fundos de pensões, com o BNDES, quase meio trilhão entregues para ditaduras e amigos do rei aqui dentro. Então, por isso faltou dinheiro aqui dentro. Pegamos um Brasil arrebentado econômica, moral e eticamente. E estamos tentando reconstruí-lo. Havendo recursos, vamos manter todas as obras vivas para que elas sejam concluídas”, disse.

Após a cerimônia, a comitiva presidencial seguiu para Barra do Ribeiro, próximo à Região Metropolitana do Rio Grande do Sul, para atividades relacionadas à BR-116.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome