RS avança na vacinação da gripe no dia D e lidera ranking nacional da campanha

Estado chegou a 24% de cobertura dos grupos prioritários. (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

Após o Dia D de vacinação contra a gripe (influenza) realizado no sábado (13), o Rio Grande do Sul chegou a 24% de cobertura dos grupos prioritários. O índice representa a maior adesão no país. Cerca de 930 mil doses já foram aplicadas até o momento. Dessas, a estimativa da Secretaria da Saúde (SES) é que 167 mil tenham sido aplicadas no sábado, data de abertura extraordinária das unidades de vacinação no Estado.

Iniciada em 25 de março, a meta da campanha é chegar a 90% da cobertura até o término da estratégia, em 31 de maio. A vacinação é direcionada aos públicos elegíveis, como idosos, crianças (a partir dos seis meses a menores de seis anos de idade), gestantes, puérperas e pessoas com comorbidades.

Entre os estados que começaram a estratégia em março (todos com exceção dos estados do Norte, que começaram em novembro passado), a cobertura registrada até agora no Rio Grande do Sul é a maior no país, ficando à frente de estados como Ceará, Santa Catarina e Paraíba (com 21% de cobertura nos três). Atualmente, a média nacional está em 16%.

Ao todo, mais de 5 milhões de pessoas fazem parte dos grupos elegíveis no Rio Grande do Sul. Confira abaixo os grupos prioritários, as populações estimadas, doses e coberturas.

Grupo prioritário: população alvo (total de doses aplicadas / cobertura vacinal)

  • Idosos: 2.193.416 (611.626 / 27,75%)
  • Crianças: 634.582 (88.069 / 13,84%)
  • Gestantes: 90.707 (8.418 / 9,25%)
  • Puérperas: 14.911 (1.489 / 9,97%)
  • Povos indígenas vivendo em terras indígenas: 26.419 (4.335 / 16,08%)
  • Total grupos prioritários: 2.960.034 (713.569 / 24,01%)

Outros públicos elegíveis (doses aplicadas)

  • Comorbidades: 103.919
  • Pessoas com deficiência permanente: 7.141
  • Trabalhadores da saúde: 53.736
  • Professores: 31.404
  • Caminhoneiros: 4.967
  • Forças armadas: 1.777
  • Forças de segurança e salvamento: 2.641
  • População privada de liberdade: 5.169
  • Adolescentes e jovens em medidas socioeducativas: 82
  • Quilombolas: 1.362
  • Povos indígenas vivendo fora das terras indígenas: 330
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade: 864
  • Pessoas em situação de rua: 409
  • Trabalhadores portuários: 266
  • Trabalhadores de transporte coletivo: 1.954

Fonte: painel do Ministério da Saúde

A meta da campanha é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos seguintes grupos: crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos e mais e povos indígenas. Para os demais grupos prioritários, considerando a indisponibilidade de estimar o número de pessoas (denominadores), não é possível definir meta de cobertura vacinal. Por isso, são disponibilizados apenas os dados de doses administradas durante a campanha.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome