Governador Ranolfo determina forças de segurança agirem para desbloquear rodovias no Estado

Coordenador do Gabinete de Crise, Ranolfo avalia como irregulares as interrupções nas rodovias. (Foto: Nabor Goulart/Secom)

A primeira reunião do Gabinete de Crise para gerenciar a situação dos protestos que ocorrem com bloqueios de estradas no Rio Grande do Sul ocorreu na manhã desta terça-feira (1º), no Centro Administrativo do Estado (CAFF). O encontro foi coordenado pelo governador Ranolfo Vieira Júnior e contou com representantes das forças de segurança estaduais, federais e demais entidades e órgãos envolvidos com a questão.

Ranolfo considera irregulares as intervenções nas rodovias e determinou que sejam tomadas medidas cabíveis para as desobstruções. “Sobre os bloqueios ilegais que ocorrem nas estradas do RS, minha ordem às forças de segurança é para agir e efetuar os desbloqueios de forma imediata, conforme indica a lei. Não vamos permitir que essa situação permaneça e prejudique o povo gaúcho”, declarou.

As medidas para garantir a todos o direito de ir e vir estão sendo alinhadas e serão aplicadas de forma integrada pelas forças de segurança. Elas envolvem, em um primeiro momento, o diálogo com os manifestantes que bloqueiam vias públicas. Caso as ordens de liberação não sejam cumpridas, os infratores poderão ser multados em valores que variam de R$ 10 mil a R$ 100 mil – para pessoas físicas ou jurídicas, dependendo da natureza da irregularidade. Se ainda assim houver resistência, o uso da força poderá ser aplicado.

Outro ponto avaliado na reunião foi a definição de uma atuação estratégica em locais onde os bloqueios de tráfego prejudique mais a circulação das pessoas e a distribuição de combustíveis – como é o caso da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), entre os municípios de Canoas e Esteio, na Região Metropolitana. “Todas as medidas que estão sendo tomadas em nosso Estado também atendem à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a imediata desobstrução de rodovias e vias públicas que estejam ilicitamente com o trânsito interrompido. A eleição acabou e a democracia precisa ser respeitada”, disse Ranolfo.

O Gabinete de Crise é composto por parte do Estado, pela Secretaria da Segurança Pública e suas vinculadas (Brigada Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Instituto-Geral de Perícias e Departamento Estadual de Trânsito); Secretaria de Logística e Transportes; Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem; Procuradoria-Geral do Estado; Casa Civil, Secretaria de Comunicação e Defesa Civil Estadual.

Medidas para garantir a todos o direito de ir e vir estão sendo alinhadas, e grupo voltará a se reunir no final da tarde. (Foto: Nabor Goulart/Secom)

Também fazem integram o grupo de trabalho o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal; a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, Forças Armadas e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Serão convidados a participar a Sulpetro, Petrobrás, Advocacia-Geral da União (AGU) e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O próximo encontro do Gabinete de Crise acontecerá ainda nesta terça (1), às 18h, para fazer um balanço das ações para desobstruir as rodovias no Estado.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome