Nasci da cultura popular e defendo o carnaval

O vereador de Pelotas, Cauê Fuhro Souto (União). (Foto: Divulgação)

Sou filho de uma artista pelotense, infelizmente já falecida. Foi dançarina, coreografa, minha amada mãe, Berê Fuhro Souto. Uma liderança que se somava ao combate da desigualdade existente no cenário cultural, algo que representa a desigualdade social do próprio País.

Para alguns agentes públicos e políticos cultura é algo fútil, banal, mas penso exatamente ao contrário. Cultura é algo necessário, que acrescenta conhecimento e estimula o senso crítico das pessoas, uma grande fonte de renda para artistas e para o setor produtivo das cidades.

Quando assumi a cadeira na Câmara Municipal de Pelotas, logo refleti “agora como vereador quero fazer acontecer, sei que dentro dos limites que o Poder Legislativo possui em termos de execução”.

Neste ano de 2023 tive a oportunidade de indicar a aplicação de recursos do orçamento do município de Pelotas, por meio da emenda impositiva. E tomei a decisão de garantir um valor de R$ 50.000,00(cinquenta mil reais) para o carnaval 2024. Fui o vereador de Pelotas que mais investiu para a estruturação da festa de nossa cidade.

Sei que o carnaval sofre ataques de quem carrega o preconceito de setores mais elitistas da sociedade, se defende de discursos oportunistas de agentes políticos que se dizem comprometidos e falam em prioridade nos períodos eleitorais, mas viram às costas depois que atingem seus objetivos pessoais.

Falo com orgulho que sou o vereador de Pelotas que mais investiu na realização da folia de momo de nosso município. Mesmo que saiba que é necessário avançar com a profissionalização de todos que participam.

Em Pelotas temos uma característica peculiar, uma diversidade de categorias de desfiles, tem para quem goste de assistir as escolas de samba, adultas e as mirins, e para quem queria se divertir nos blocos burlescos e nas bandas carnavalescas.

O recurso que destinei sei que será aplicado na ferragem, na loja de aviamentos, na costureira, nos pagamentos de músicos, equipes de barracão, em fantasias, e proporcionará ocupação para o pipoqueiro, bilheteiro, segurança, jurados, para os donos de estruturas como arquibancadas e camarotes. O valor será multiplicado em arte e postos de trabalho.

Quem acha exagero, convido para que compareça nos dias 15,16 e17 de março e prestigie o carnaval de Pelotas.

Passada esta edição serei proponente de uma ampla discussão para que possamos ir além em 2025, e quem sabe não consigamos a nossa tão sonhada passarela do samba.

Para isso, precisamos de agentes políticos com o verdadeiro compromisso com o carnaval, com os carnavalescos, e desta forma jamais deixaremos “o samba, o carnaval morrer”, que continuo vivo em todos nós.

Cauê Fuhro Souto (União), vereador de Pelotas

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome