Diário Popular 1890 – 2024

Vilson Farias. (Foto: Divulgação)

Durante mais de cinquenta anos convivi com o Diário Popular.

Inicialmente como Policial, desempenhando a função de Escrivão de Polícia, quando era estudante de direito.

Depois, como Delegado de Polícia. Posteriormente, como Promotor de Justiça em Pelotas e região. Após jubilar na função pública como Promotor de Justiça e Professor, bem como Diretor de Escola em Pelotas (Escola Técnica João XXIII) passei a exercer a Advocacia, onde me encontro há aproximadamente 30 anos.

Escrevi aproximadamente mais de 3 mil artigos, os quais redundaram em livros (19 livros).
Sempre tive um ótimo convívio com a Direção deste jornal e com inúmeros jornalistas que passaram pelo Diário Popular e, também, pelo Diário da Manhã.

Resta-me lamentar a ausência destes jornais em Pelotas, os quais engrandeciam a imprensa brasileira.

Não me cabe registrar os motivos que levaram as direções a encerrar tais periódicos, apenas lamentar.

A tecnologia modificou tudo, principalmente o trabalho da imprensa.

Convivi com grandes jornalistas em tais órgãos, como: Clayr Rochefort, Hélio Freitag, José Ricardo Castro, Alvaro Piegas, Virgínia Fetter e outros que, inclusive, ainda brilham na imprensa brasileira.

Resta-me dizer a todos que os mesmos engrandeceram o jornalismo pelotense.

Espero sinceramente que outras empresas venham a trabalhar em Pelotas no campo do jornalismo, pois esta cidade merece uma imprensa vigilante.

Diante de tanta notícia ruim, tenho uma boa e posso afirmar, sem medo de errar, que a Rádio Pelotense voltará em breve a funcionar, agora, em FM, segundo informou-me o Diretor da Rádio, Advogado Paulo Góz.

Sinceramente,
Vilson Farias, advogado, escritor e membro da Academia Pelotense de Letras, dirigente da Banca de Advocacia Geral em Pelotas/RS.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome