União Gaúcha J. Simões Lopes Neto

O colunista Paulo Souza.

72 anos do Reerguimento

No dia 18 de dezembro de 2022, a nossa querida “Velha Senhora” estará completando 72 anos do seu reerguimento, mas vamos relembrar a bela história da Entidade Tradicionalista mais antiga em atividade no nosso Rio Grande do Sul:

A história da União Gaúcha remonta a 123 anos, começando em 09 de setembro de 1899, data em que era publicado no “Diário Popular” um edital de convocação para uma assembleia geral dos “Amantes do culto à Tradição”, a realizar-se no dia seguinte, 10 de setembro de 1899, no salão da sociedade alemã, data que ficou configurada como fundação da Entidade.

A assembleia foi um grande sucesso, pois numerosos foram os tradicionalistas que compareceram; ali foram sugeridos três nomes para a sociedade que nascia: Sociedade Crioula, União dos Guascas e União Gaúcha, tendo sido escolhido por maioria o nome de “União Gaúcha”.

Em 20 de setembro de 1899, nas dependências da Biblioteca Pelotense, os sócios-fundadores reuniram-se agora para aprovarem o estatuto e elegerem a primeira Diretoria; ficou estabelecida assim que a data de 20 de setembro seria a data festiva da fundação da nova Entidade Tradicionalista.

João Simões Lopes Netto (com dois T conforme a sua assinatura em nossos livros) foi o quarto presidente, empossado em 20 de setembro de 1905. Em sua gestão tivemos um salto, destacamos a visita do escritor “Coelho Neto” que, impressionado com a versatilidade dos homens da nossa terra, pois de dia se envolviam nas lides campeiras tratando dos animais e, de noite, lá estavam envergando casacas participando dos saraus em casarões luxuosos, em empolgante discurso denominou a União Gaúcha de ”A Arca das Tradições Rio-Grandenses”.

Honrando seu passado de glórias e realizações, a União Gaúcha J. Simões Lopes Neto continua hoje sua trajetória, traçada pelos fundadores de 1899 e reafirmada pelo grupo de ginasianos que, em 18 de dezembro de 1950, resolveram não somente fundar mais um CTG, mas sim reerguer a antiga União Gaúcha que estava adormecida, agora colocando também o nome literário de seu mais famoso Presidente, passando a chamar-se “União Gaúcha J. Simões Lopes Neto”.

Procurei demonstrar, em rápidas pinceladas, o que significa para nós, Tradicionalistas Gaúchos, a centenária União Gaúcha J. Simões Lopes Neto, a Arca das Tradições Rio-Grandenses, considerada de Utilidade Pública por Lei da Prefeitura Municipal de Pelotas além de ter sido declarada por lei como integrante do Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul. Deixo aqui de escrever sobre a atual União Gaúcha J. Simões Lopes Neto de tantos troféus, de tantas vitórias, de tantas viagens levando o nome de Pelotas e do nosso Rio Grande até ao exterior, já que o espaço é pequeno para tantas glórias.

SALVE A UNIÃO GAÚCHA J. SIMÕES LOPES NETO!

Paulo Luiz Souza
Patrão nos 100 anos com muito orgulho.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome