República Juliana

Paulo Souza.

Revolução Farroupilha chega a Santa Catarina

A República Juliana foi considerada um braço da Revolução Farroupilha, ficou conhecida historicamente como um estado que pertenceu à Santa Catarina, oficializou-se a 24 de julho de 1839 – advindo daí o nome “Juliana” – e findou-se em 15 de novembro de 1839.

Mas, vamos ver como foi o início dessa epopeia:
Em junho de 1839, Garibaldi e o mercenário norte-americano John Griggs, o João Grandão, promoveram uma epopeia no Rio Grande do Sul: transportaram os barcos Seival e Rio Pardo sobre rodas de carreta, tracionados por dezenas de bois, ao longo de cem quilômetros de campos, rumo à barra do Rio Tramandai.

Desde a retomada de Porto Alegre, em 1836, pelas forças do Império, durante a Guerra dos Farrapos, as principais vias fluviais e portos do Rio Grande do Sul eram controlados pelo Império.

Devido à Guerra, muitos gaúchos emigraram para Santa Catarina. Alguns desses atuaram como contrabandistas para os farroupilhas, fornecendo armas e munições.

As forças farroupilhas chegaram à Vila de Lages, em março de 1838, e buscavam conquistar Laguna, como um porto para acesso ao Atlântico. Nesse intento, no início de julho de 1839, transportaram dois lanchões por terra, até o Rio Tramandaí, desceram até o Oceano e subiram até a Vila de Laguna, comandados por Garibaldi. O lanchão por ele comandado naufragou, morrendo boa parte da tripulação. Garibaldi nadou até a praia e foi ajudado por habitantes de Araranguá. Canabarro comandou as forças por terra.
O Município de Laguna possuía, na época, cerca de 12 mil habitantes, sendo que mais de dois mil eram escravos.

Em julho de 1839, os farroupilhas atacaram, dominaram e saquearam Laguna. Após um combate inicial, com alguns mortos, os imperiais, em menor número, retiraram-se para defender Desterro (atual Florianópolis). Segundo Gustavo Marangoni Costa (Entre Contrabando e Ambiguidades: Outros Aspectos da República Juliana… UFSC, 2006), os farroupilhas continuaram avançando para o norte até serem contidos pelas forças imperiais, próximo ao Morro dos Cavalos (atualmente no Município de Palhoça).

Em 29 de julho, a Câmara Municipal de Laguna, presidida por Vicente Francisco de Oliveira, proclamou a nova República, com o nome de Estado Catharinense Livre e Independente. A República Juliana, pois era o mês de julho, foi governada inicialmente por Canabarro e seria um estado federado à República Rio-Grandense, proclamada em 1836.

O fim foi em 15 de novembro de 1839, durante um ataque violento a Laguna, durante o qual os seus inimigos fizeram uso não só da marinha como também da cavalaria e da infantaria para derrotá-los.

O resultado foi o total aniquilamento da esquadra farroupilha, a reconquista de Laguna e a matança de todos os chefes da marinha rio-grandense, com exceção, é claro, de Garibaldi e Davi Canabarro, que conseguiram fugir.

Se estivéssemos atravessando uma situação de normalidade, hoje estaríamos em nossas Entidades Tradicionalistas comemorando mais uma Semana Farroupilha. Mas, ainda em tempos de pandemia, temos que nos contentar com alguns pequenos eventos que estão acontecendo em nossa região.

Até a próxima coluna amigos e SALVE AS TRADIÇÕES GAÚCHAS.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome