O pila gaúcho

Vocês sabem por que o gaúcho chama o dinheiro de “pila”? Não? Então acompanhem o que detalho abaixo.

Origem do nome
A palavra pila, como moeda, provém do político do Partido Libertador do Rio Grande do Sul, Raul Pilla. Este político e seu partido apoiaram a Revolução Constitucionalista, contra Getúlio Vargas. Como esta revolta foi mais intensa em São Paulo e teve pouco respaldo no seu estado, ele exilou-se no Uruguai, saindo sem levar nenhum dinheiro. Seus partidários, para ajudar no seu sustento, passaram a cotizar-se vendendo bônus com valor de face, que logo passaram a ser negociados, por um breve tempo, como dinheiro entre os seus partidários.

Como era a cédula
Dizia assim a cédula: O portador contribuiu com o valor de … Cr$ para o Partido Libertador, em prol da Democracia. E até era assinado pelo político em um canto do documento.
Assim, se recolheram alguns valores em cruzeiros, que foram encaminhados ao Raul Pilla pelos seus partidários como auxílio financeiro, nascendo a denominação de “pila”, equivalente a dinheiro.

Será mesmo lenda?
Consta, igualmente, outra lenda popular que essa apólice, documento, ou seria moeda em nota de cruzeiro, era cortada ao meio e distribuída aos eleitores, por seus partidários. Quando da votação e se confirmando que o portador votara no Dr. Pilla levava a outra parte da nota. Essa é apenas uma suposição, invenção popularesca do fato ou folclore político.
No entanto, ainda se ouve hoje “pila” para cá, “pila” para lá…
Isso custa tantos “pilas” e até está fixada em registros em alguns dicionários.
E assim se conta a história do “pila” gaúcho, destacando-se que seu valor corresponde sempre a uma unidade de qualquer moeda nacional vigente.

Gostaram da explicação? Pois agora podem chamar o nosso real de pila que está tudo certo.

Até a próxima, amigos (as) leitores (as).

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome