Desculpas e dignidade

Tenho a consciência de que não sou eu quem define o que deve ou não ser feito, porém, em minha opinião, um pedido de desculpas é o mínimo que a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, na condição de gestora do município, que escolhe, nomeia e delega poderes à equipe de trabalho responsável pela área da saúde municipal, deve aos idosos que tem 85 anos ou mais e foram para as filas receber a vacina.

Dignidade I
Tudo começa quando a Prefeitura de Pelotas convoca os idosos com 85 anos ou mais para se vacinarem a partir do dia 10 do corrente mês.
Cabe lembrar que a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Pelotas, em vez de fiscalizar o projeto de vacinação elaborado pelo Executivo, fez ao contrário: pegou carona na sensação de esperança provocada pela vacina e divulgou nas redes sociais a campanha do Executivo.
Além da omissão dos vereadores, outra omissão inaceitável foi do Conselho Municipal do Idoso, que tem legitimidade para fiscalizar e contribuir com as ações do poder público.

Dignidade II
Difícil entender porque a Prefeitura não organizou a vacinação por faixa de idade, por exemplo: idosos de 98 anos ou mais em uma data, entre 95 e 98, entre 90 e 95, e assim sucessivamente.
Outro fator que foi determinante para o desrespeito cometido com os idosos foram os locais de vacinação. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) não tem estrutura para recepcionar grandes quantidades de pessoas. Por esse motivo, formaram-se longas filas nas calçadas, em vias sem pavimentação, expondo os idosos, familiares e até mesmo cuidadoras, ao sol escaldante, à poeira e também à chuva “tocada a vento”, como diz o gaúcho.
Por que não usaram os inúmeros ginásios de esportes da cidade, dentre eles dois municipais, como locais de vacinação, onde os idosos aguardariam sentados nas arquibancadas com distanciamento e resguardados das intempéries?

UBS Salgado Filho (Foto: Jones Raguzoni)

Dignidade III
Idosos tiveram crises de hipoglicemia (glicose baixa), caíram e se machucaram; outros, de tanto tempo na fila, não resistiram e urinaram nas vestes; alguns não se alimentaram corretamente no dia; além de outras situações e fatos que demonstraram a falta de planejamento, de preparo e até mesmo de competência da Prefeitura de Pelotas.
Uma Prefeitura que, tentando acertar nas ações de combate à pandemia, fechou o comércio, suspendeu aulas e tomou atitudes que certamente buscavam conter a propagação do vírus, agora promove uma campanha de vacinação que provocou aglomeração de idosos, esse público frágil, que passou um ano se resguardando de qualquer exposição, e agora é exposto aos riscos por quem deveria protegê-los: o poder público!

Dignidade IV
Enquanto tudo isso acontecia, próximo das 13h, a prefeita fez uma live pelas redes sociais oficiais do município. Ela anunciou para sábado (13) vacinação no sistema drive thru e definiu as aglomerações e longas filas como “atitude de ansiedade dos idosos e familiares”.
Ora, senhora prefeita, os idosos estavam quietinhos em casa! Foi a senhora e sua equipe de trabalho que convocaram todos a saírem para receber a vacina. A ansiedade foi provocada pela falta de planejamento que não estabeleceu idades diferentes e dias alternados para o recebimento da vacina. Assim, não haveria ansiedade, mas sim a certeza de receber a vacina com a dignidade e o respeito que a avançada idade merece.

UBS Salgado Filho (Foto: Jones Raguzoni)

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome