Ah, se eu tivesse tido Inteligência Emocional!

Manoela Barreto.

Escrevendo um post para o Instagram me motivei a trazer este mesmo tema para a coluna desta semana. Inteligência Emocional. Um tema que virou moda, mas que é muito importante. A minha atuação profissional se dá em ajudar outros profissionais em suas carreiras, tanto auxiliando-os a planejar os próximos passos de suas carreiras quanto para conseguirem uma colocação – um emprego, melhor falando – e eu tenho percebido que ainda precisamos falar mais sobre a importância da Inteligência Emocional em nossas Carreiras.

Eu estou no mercado de trabalho há quase 20 anos, já vivi muitas experiências, já vi de tudo nesta minha jornada profissional. Errei, acertei, erraram comigo, acertaram comigo, mas, independentemente de qualquer coisa, olhando racionalmente para toda a minha trajetória, o quanto faria diferença em muitas das minhas escolhas, em muitas das minhas ações, se eu tivesse aprendido sobre Inteligência Emocional na escola.

Ainda temos um certo pré-conceito quando falamos de emoções, sobre as nossas emoções, sobre as emoções dos outros, só que se formos pensar tudo gira na vida em torno disso, imagina na nossa jornada profissional, onde dedicamos grande parte do nosso tempo. Precisamos sim perder o pré-conceito e falar naturalmente sobre o tema em nossas casas, escolas, ambientes de trabalho. Inteligência Emocional não é frescura e não é assunto secundário, deveria ser prioridade, pauta das reuniões.

Mas o que realmente quero trazer é o quanto estamos cientes da importância da nossa Inteligência Emocional, o quanto percebemos o tamanho do impacto dela, o quanto desenvolvemos a nossa Inteligência Emocional para que ela trabalhe a nosso favor, para que seja uma aliada e não nos prejudique nem nos atrapalhe em nosso dia a dia.
E sim, existem muitas maneiras de desenvolvermos. Fato é que antes de encontrarmos o melhor caminho, é aceitarmos, acolhermos e, principalmente, conseguirmos identificar na prática o que ela nos traz de benefícios ou prejuízos, pois só assim conseguiremos desenvolvê-la de forma efetiva.

E por aí? Já observou a tua própria Inteligência Emocional? E o quanto ela está impactando positivamente ou negativamente na tua vida? Sempre é tempo.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome