Pelotas já supera R$ 110 milhões em perdas na zona rural

Estimativa foi apresentada pela prefeita Paula em reunião na Azonasul. (Foto: Gustavo Vara)

A prefeita de Pelotas e presidente da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), Paula Mascarenhas (PSDB) acompanhou na manhã desta quarta-feira (29) o detalhamento das perdas na zona rural de diversas cidades da região, em reunião realizada na sede da entidade. Junto aos demais chefes de Executivo e secretários municipais, Paula apontou que em Pelotas os prejuízos já chegam a RS 107 milhões em culturas e danos ao solo e irão além ao contabilizar os problemas na infraestrutura viária da zona rural, como estradas e pontes.

Conforme a gestora, os cálculos, preliminares, foram feitos com ajuda da Emater. Algumas localidades como a Colônia de Pescadores Z3 ainda dependem das águas baixarem para a conclusão dos levantamentos. “São cerca de R$ 107 milhões só na agropecuária, sobretudo na soja, milho, hortaliças e fertilidade do solo, isso sem contar as perdas na infraestrutura rural, já estimadas em R$ 5 milhões, e na Z3, cujo levantamento será feito após as águas baixarem e, portanto, já somamos cerca de R$ 12 milhões”, apontou Paula.

O encontro foi organizado pela coordenação do Conselho de Secretários Municipais de Agricultura da Zona Sul para discussão e apresentação das perdas no setor provocadas pelas chuvas na região. Contou com a participação remota de representantes da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi).

Durante a reunião, a presidente da Azonasul ainda salientou a importância da priorização de pautas em torno do tema “eventos climáticos” dentro da proposta de criação da agência de desenvolvimento regional, além da união regional para contribuir com a reconstrução do estado. “Já passamos por isso em setembro e agora novamente e essa realidade será cada vez mais recorrente, por isso precisamos buscar caminhos para a recuperação mas também para enfrentarmos o futuro. Nosso foco dentro da agência precisa estar nas questões climáticas, como fazer frente a elas e criarmos uma cultura de resiliência. Além disso, precisamos ainda buscar estratégias de desenvolvimento a partir desta região: que o Sul possa servir de auxílio, como um espaço de recomeço e de reconstrução do Estado”, afirmou a prefeita.

Dentre os encaminhamentos apontados no encontro, o coordenador regional da Secretaria de Agricultura do Estado, Henrique Pereira da Silva, anunciou, entre outras ações que serão articuladas pela Azonasul, a liberação de R$ 500 mil em horas/máquinas para os quatro municípios da região que estão em situação de calamidade: Pelotas, Rio Grande, São Lourenço do Sul e São José do Norte.

Perdas até o momento

  • Soja – R$ 60 milhões
  • Milho – R$ 19 milhões
  • Fertilidade do solo – R$ 19 milhões
  • Hortaliças – R$ 8 milhões
  • Infraestrutura rural / parcial – R$ 5 milhões

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome