Pelotas está há 63 dias sem registrar homicídios dolosos

Arma de fogo (Foto: Reprodução/Internet)

Neste domingo (26), Pelotas completou 63 dias sem registros de homicídios dolosos. Esse é o período mais longo que o município fica sem registrar esse tipo de crime desde 2018. De acordo com a análise do Observatório de Segurança Pública e Prevenção Social, de março a abril de 2021, a cidade passou 58 dias sem casos. Já em 2020, no período compreendido entre maio a julho, foram 59 dias.

Para a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB), trata-se de vidas preservadas e, principalmente, vidas de jovens, que terão um futuro inteiro pela frente. “É um resultado concreto de uma política pública forte, através do Pacto Pelotas pela Paz, desenvolvida a muitas mãos e por muitas instituições, por meio de uma integração sem precedentes na história do município. É uma satisfação enxergar esse resultado, com tantas vidas preservadas, o que, até pouco tempo atrás, não se via em Pelotas”, salientou a gestora.

Conforme o observatório, foram registrados, até o dia 26, 20 casos de mortes violentas, sendo 15 homicídios dolosos, um confronto com a polícia, um encontro de cadáver com sinal de violência, dois latrocínios e um feminicídio. O ano de 2021 apresentou a menor taxa de registros, ficando, entre janeiro a agosto, com 5,8 mortes a cada 100 mil habitantes. Em 2017, esse número chegou a 22,6% e, em 2018, a 21,2%. Já em 2019 e 2020, as porcentagens eram de 14,6% e 6,7%, respectivamente.

Para a guarda municipal e coordenadora do Observatório, Cintia Aires, esses números refletem o empenho da Prefeitura no que tange à preservação de vidas. “Os resultados positivos de vidas preservadas, tem como parte importante o processo de integração entre as forças de segurança”, completou.

Resultados que justificam e fortalecem a integração

O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio André Facin, destacou o programa estadual RS Seguro e as ações do Pacto, como o Gabinete de Gestão Integrada Municipal e o Comitê Integrado de Prevenção, como fortes estratégias para reduzir a criminalidade. “Esses mais de 60 dias sem homicídios dolosos fruto de persistência, comprometimento, empatia e de uma união de esforços de todos os atores, que atuam em defesa da comunidade pelotense”, afirmou o oficial.

Já o titular da 18ª Delegacia Regional de Polícia, Márcio Steffens, citou a estratégia de dissuasão focada (que monitora os homicídios na tentativa de entender os motivos para tomar as medidas cabíveis) e a repressão ao tráfico de drogas, crime que tem grande vínculo com os atentados contra à vida, como formas eficientes de combate. “Nos dedicamos muito para conseguir manter os números de homicídios estáveis e baixos, sempre buscando encontrar formas de combater efetivamente esse tipo de crime. Com a integração entre as forças de segurança pública, procuramos desenvolver um resultado e manter esses índices”, defendeu Steffens.

Em 2017, conforme lembra o comandante da Guarda Municipal, Igor Dufau Bretanha, os homicídios assolavam a cidade de Pelotas e traziam grande preocupação, algo que mudou com a chegada do Pacto Pelotas pela Paz e a intensificação na luta para diminuir esses índices de criminalidade, por meio da união entre os agentes de segurança pública. Agora, atingindo a marca dos 60 dias sem registros e com vidas preservadas, existe “tranquilidade para a população, que nota a segurança e pode circular pelas ruas sem medo.”

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome