Pelotas: Prefeitura abastece 3,2 mil famílias com caminhões-pipa

Chuvas ocasionais deste mês estabilizam os prejuízos na produção, mas zona rural ainda tem 400 famílias atendidas por caminhões-pipa. (Foto: Divulgação)

As chuvas ocasionais da primeira semana deste mês estabilizaram as perdas nas lavouras da zona rural de Pelotas. É o que aponta a mais recente atualização de dados sobre os prejuízos causados pela estiagem. A Prefeitura de Pelotas acompanha a evolução do quadro e mantém o abastecimento de 3,2 mil famílias em todo o município, sendo 400 na zona rural.

“A Secretaria de Desenvolvimento Rural acompanha o trabalho semanal de observação realizado pelo escritório municipal da Emater. As administrações distritais e a sede central da Secretaria permanecem à disposição das famílias da zona rural para orientá-las quanto ao uso equilibrado da água disponível nas propriedades e para cadastro, junto ao Sanep, no caso de necessidade de abastecimento via caminhão-pipa”, explica o diretor executivo da SDR, Romualdo Cunha Júnior.

Os prejuízos registrados na produção primária, de acordo com levantamentos realizados por instituições técnicas, atingiram a marca dos R$ 115 milhões na zona rural do município, com perdas expressivas nas lavouras de legumes e hortaliças, milho, fumo, feijão e outras, além do comprometimento das pastagens, com reflexo direto na alimentação dos rebanhos e redução da produção de leite e carne. Segundo o chefe do Escritório Municipal da Emater, Francisco Arruda, as chuvas de fevereiro estabilizaram as perdas nas lavouras. Mas, até o momento, não se verificaram em volume suficiente para suplementar arroios, córregos e reservas.

As culturas que apresentam as maiores perdas, conforme o Boletim Conjuntural divulgado pela Emater, no final da semana passada, são o milho, o milho de silagem e o feijão. Aproximadamente 45% dessas lavouras foram completamente perdidos. Entre as plantações de soja, calcula-se que 10% não se recuperem, enquanto no arroz a quebra é, atualmente, de 8%.

Caminhão-pipa pode ser solicitado pela internet

Nesta terça-feira (7), a régua de medição do nível da barragem Santa Bárbara apontava 2,19 metros abaixo do normal. A situação, considerada crítica, leva a autarquia a garantir o fornecimento de água a aproximadamente 3,2 mil famílias, tanto da zona rural como da urbana, por meio de caminhões-pipa.

Para solicitar o abastecimento, é necessário se cadastrar junto ao Sanep. O procedimento pode ser feito pelo endereço eletrônico https://sanep.com.br/solicitacao-online?form_question=22 ou pelo e-mail [email protected].

Para atender a zona rural, mais dois caminhões-pipa foram incorporados à frota, que passou a ser de seis, para atendimento às demandas provocadas pela estiagem. Para a área urbana, cinco caminhões distribuem água ao Balneário dos Prazeres e região da Colônia Z3.

Decreto segue em vigor

Continua em vigor o Decreto 6.690, assinado pela prefeita Paula Mascarenhas (PSDB), no dia 6 de janeiro, restringindo o uso de água potável em Pelotas. A utilização para lavar veículos, calçadas e prédios está proibida, assim como a troca ou reposição da água de piscinas, para irrigação de gramados e jardins e atividades consideradas não essenciais.

A situação, a partir desse decreto, continuou em agravamento progressivo. Sem chuvas, a Prefeitura declarou situação de emergência nas áreas do município afetadas pela estiagem, via Decreto 6.696 de 18 de janeiro de 2023, com base na Classificação e Codificação Brasileira de Desastres (Cobrade) 1.4.1.1.0, conforme Instrução Normativa do Ministério de Desenvolvimento Regional (IN/MDR) 36/2020. A norma valida a mobilização de todos os órgãos, entes municipais e voluntários para enfrentamento do quadro, reabilitação e reconstrução.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome