Pelotas: Barragem Santa Bárbara alcança recuperação completa

Principal manancial da cidade registra nível ideal após mais de um ano nesta quinta-feira (27). (Foto: Matheus Cabistany)

Após mais de um ano com índices negativos, o nível da barragem Santa Bárbara obteve recuperação completa nesta quinta-feira (27). A água extravasou no vertedouro do principal manancial de Pelotas, o que não ocorria desde 11 de julho de 2022. As chuvas expressivas registradas pelo Sanep neste mês foram responsáveis pelo aumento do nível da reserva hídrica que abastece 60% da cidade.

Em medição realizada no dia 14 de julho, a barragem já apresentava evolução, com 0,73 metro abaixo do vertedouro, após o registro de 113 milímetros em dois dias. Uma semana depois, o nível apontava 0,50 metro. Nesta segunda (24), alcançou 0,47 metro. Na terça (25), contabilizava 0,37 metro. A recuperação total ocorre nesta quinta (27), após os 115 milímetros notificados desde a noite de terça.

Na segunda-feira (24), a Prefeitura revogou o Decreto nº 6.690, que restringia o uso da água potável no município a atividades essenciais. A medida estava em vigor desde 6 de janeiro, quando o manancial marcava 1,60 metro abaixo do vertedouro – número que chegou a ultrapassar 3,60 metros negativos, em maio.

A diretora-presidente da autarquia, Michele Alsina pontua que mesmo diante dos meses mais severos de estiagem, o abastecimento foi mantido de maneira exitosa pelo Sanep, devido ao trabalho realizado preventivamente. “Investimos mais de R$ 2 milhões para qualificar o abastecimento, com mais de R$ 1,5 milhão na construção do reservatório do Balneário dos Prazeres e R$ 500 mil na transposição das águas do arroio Pelotas para a barragem Santa Bárbara, aumentando o volume de água bruta do manancial. Nos antecipamos a esse cenário e conseguimos manter as residências plenamente abastecidas, mesmo no período mais crítico de seca, durante o verão”, afirma.

Monitoramento diário

O Sanep realiza acompanhamento diário do nível do principal manancial da cidade, além de contabilizar as chuvas no pluviômetro central. As sete Casas de Bombas são monitoradas 24 horas por dia e o serviço de limpeza e desobstrução dos canais de macrodrenagem é feito ininterruptamente durante todo o ano.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome