Pioneiro na música latina no Brasil, grupo Tarancón celebra a sua história no palco do Theatro Guarany em Pelotas

Grupo Tarancón começou suas atividades em 1972, mas foi quatro anos depois que lançou seu primeiro disco, Gracias a La Vida. (Foto: Divulgação)

Referência na integração latino­americana por meio da música no Brasil, o grupo Tarancón começou suas atividades há 50 anos, em 1972, mas foi em 1976 que lançou seu primeiro disco, Gracias a La Vida. O LP conquistou as plateias universitárias e deu respeito ao grupo no cenário musical dos anos 1970.

Em 1985, o grupo conheceu o sucesso de massas, com a música Mira Ira, segunda colocada e vitoriosa em melhor arranjo do Festival dos Festivais da Globo, com seu refrão contagiante e que levantou o público.

Nomes como a argentina Mercedes Sosa e a chilena Violeta Parra são figuras fundamentais no repertório do Tarancón, que ainda canta nomes brasileiros como Milton Nascimento, Caetano Veloso e Chico César.

Na apresentação que celebra os 50 anos de estrada do grupo, grandes hits também serão cantados, além de novidades como Canto Lunar, composição de Denise Emmer, Sube, de Victor Herédia, Bonita de Cereza, de Oscar del Valle, e Dança, de Chico César.

O show em Pelotas será realizado no dia 10 de maio, sexta-feira, às 20 horas, no Theatro Guarany, em única apresentação. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site Blueticket ou no Café.Com, na rua Quinze de Novembro, nº 709, no centro da cidade. Estudantes, professores, doadores de sangue e medula, e idosos têm direito a meia entrada, mediante comprovação.

Tarancón de todos os tempos

A banda Tarancón surgiu nos efervescentes anos 1970 para aproximar o Brasil de ritmos e canções latino-americanas. Com ensaios desde 1972, lançou seu primeiro álbum, Gracias a La Vida, em 1976.

Em 1978, foi a vez do disco Lo Único que Tengo. Nos anos 1980, lançou álbuns que marcaram época, como Amazona Vingadora, em 1985, e Terra Canabis, em 1986, que traz versão belíssima instrumental de Eleanor Rigby, dos Beatles, além do hit Mira Ira, com participação de Miriam Mirah.

Com vários LPs lançados, hoje bastante disputados nas lojas de vinil de toda a América Latina, e também CDs e álbuns digitais, o grupo atravessou gerações apaixonadas por nossa América Latina.

Sonoridades indígenas, andinas, caribenhas e afro latinas se fazem presentes nas canções da banda, repletas de arranjos sofisticados.

O Tarancón abriu caminhos para outros músicos e bandas que dialogam com a sonoridade latina, como Raphael Sales, Paulinho Moska, a banda Francisco El Hombre, e eventos como o Festival Mucho!, entre outros.

Uma carreira artística com cinco décadas merece comemoração e é isso que o Tarancón fará junto com o público no show “50 anos”.

Formação atual

Ademar Farinha: flautas andinas, violão, viola e charango
Emilio de Angeles: flautas amerindias
Jam Miranda: sankas, violas, violão
Jonathan Andreoli: bombo leguero, congas, cajón peruano
Jorjão: baixo, contra-baixo, e charango
Maetê: canto, voz e encanto
Nat Gularte: xullu-xullu, pratos, bumbo inca, reco-reco da mata atlântica e muito mais.
Realização: Eduardo Holmes Produções

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome