Peça “Pai-de-Deus” volta ao palco do CT Tholl em Pelotas

Com texto de Valter Sobreiro Júnior a nova temporada começa amanhã(11) com apresentações intimistas no palco de arena do CT Tholl. (Foto: Divulgação/Fabrício Simões)

A peça teatral “Pai-de-Deus” volta ao palco do Centro de Treinamento Tholl, em Pelotas, de quarta-feira(11) a domingo(15), às 20h, tendo a arte como importante instrumento de catarse e ressignificação. “Na semana em que atos terroristas atentam contra o Estado Democrático de Direito a dramaturgia relembra mais uma vez as dores profundas e nefastas da ditadura”, destaca o ator João Schmidt. No ano passado a peça teve temporada em Porto Alegre – no Teatro de Arena e Casa de Cultura Mario Quintana, além das cidades de Rio Grande, Arroio dos Ratos, Santa Vitória do Palmar e Pelotas. AS entrada para as sessões são gratuitas mediante a inscrição na lista de presenças através de contato pelo perfil do Instagram @paidedeus_oficial. Em abril o espetáculo chega ao Rio de Janeiro e Vitória, no Espirito Santo.

O título da obra é o apelido dado a um torturador, personagem encenado por Joao. A peça trouxe a volta do ator aos palcos. A parceria com Valter Sobreiro Júnior, que assina o texto e a música original, resgatou a cumplicidade da dupla, que é parte da história do teatro gaúcho. João Schmidt encena o homem mais velho, que recebe a visita de um jovem, vivido por Germano Rusch. O ator Germano Rusch é formado em teatro pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e atua como integrante do Grupo Tholl. A dança de interpretações dos personagens também remete sonoramente a pas de deux, em um orquestrado jogo de forças – opostas e complementares. O texto se divide em duas partes, centradas nas visitas que o jovem faz ao velho, e onde os conflitos estabelecidos dão conta de memórias terríveis que os ligam a um passado comum: a ditadura militar. Um dos momentos fortes da peça é a participação de Tania Fayal, por projeções em vídeo, onde faz o seu depoimento sobre as terríveis experiências sofrias na ditadura. O espetáculo é comemorativo aos 60 anos de carreira do teatrólogo Valter Sobreiro Junior. A peça tem preparação corporal de Marvin Duarte, figurinos de João Bachilli, desenho de luz e operação técnica de Fabrício Álvaro, cenografia de Joao Schmidt e edição de vídeo de Mateus Dias.

Declarações sobre a peça:

Flávio Dornelles – ator, professor e diretor teatral: “Um espetáculo há ser visto; “PAI-DE-DEUS com a dramaturgia primorosa de Valter Sobreiro Jr. Traz a cena excelente performances dos atores Joao Schmidt & Germano Rusch. Direção precisa um belo espetáculo!”

Fernando Keiber – Produtor Cultural: “Eu vi PAI-DE-DEUS. Fui privilegiado. O texto de Valter Sobreiro tem uma força, profundidade e beleza descomunal. E as atuações potentes do Joao Schmidt e Germano Rusch amplificam tudo. Forte. Lindo. Marcante. Imperdível”.

Fábio Gonçalves – Jurista, Professor e historiador, presidente da CIR/OAB Pelotas: “PAI-DE-DEUS” é excitante, um “absinto”! Um bálsamo que amálgama pulsante, candura e tensão. A maestria das experimentadas interpretações de Joao Schmidt e Germano Rusch, provocam a cada ato – dores, instintos, amargos e doces sabores, mesclando a dureza dos “anos de chumbo” com o desafio mais temível de todo o ser: seu encontro mais íntimo consigo mesmo. É impossível à plateia cerrar os olhos, ainda que por um instante apenas. Viva a genialidade de Valter Sobreiro Jr”.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome