Pelotas: Parada da Diversidade teve plateia seleta e animada no Guarany

A Prefeitura de Pelotas apoiou o evento, que este ano ocorreu no Theatro, com público limitado, para evitar aglomeração. (Foto: Divulgação Secult)

Dezenas de pessoas acompanharam, com entusiasmo, a Parada da Diversidade, na tarde de domingo (5), dentro da programação da Semana da Diversidade de Pelotas, com apoio da Prefeitura. Com o tema “Sobre(viver)”, o evento deste ano teve novo formato, no Theatro Guarany, para público limitado a 300 pessoas, com entrada franca (a organização pedia a doação de 1 kg de alimento não perecível) e mediante a apresentação de comprovação vacinal.

Foram mais de vinte apresentações de artistas, entre shows de drag queens, atores, bailarinos, cantores, rappers e outros. Presente na abertura, o secretário de Cultura, Paulo Pedrozo, parabenizou as instituições promotoras do evento.

A vereadora mulher trans de Rio Grande, Maria Regina, fez uma fala incisiva sobre a importância de eventos como a Parada da Diversidade e da ocupação de outros espaços pela população LGBTQIA+ , como o Theatro Guarany. “Todos os espaços são LGBT”, enfatizou Regininha.

Gisberta
Além das apresentações artísticas, os apresentadores e os artistas chamaram a atenção para diversos fatos marcantes referentes a preconceitos e à violência sofrida pela população LGBTQIA+. Uma das apresentadoras e membro da comissão organizadora da Semana da Diversidade, a mulher trans Marcia Monks, que também é integrante da Ong Vale a Vida, fez uma performance em homenagem a todas as vítimas da LGBTfobia, representada por Gisberta, trans brasileira brutalmente assassinada em Portugal, em 2006, após ser espancada, violentada e humilhada por três dias seguidos por um grupo de 14 adolescentes. Márcia fez lip sync (sincronia labial) da canção “Balada de Gisberta”, composta por Pedro Abrunhosa e interpretada por Maria Bethânia.

A Semana da Diversidade teve o apoio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e foi uma realização conjunta das seguintes instituições: ONG Vale a Vida; Organização da Sociedade Civil (OSC) Gesto; Grupo Também; Coletivo Juliana Martinelli; Núcleo de Gênero e Diversidade da Universidade Federal de Pelotas (Nugen-UFPel); Núcleo de Gênero e Diversidade do Instituto Federal sul-rio-grandense (Nuged-IFSul); Grupo Autônomo de Mulheres de pelotas (Gamp) e Conselho de Direitos da Cidadania LGBT de Pelotas.

O evento foi transmitido ao vivo pelo Canal da Semana da Diversidade Pelotas, no Youtube, acessível pelo link.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome