Os golpes milionários dos nudes

Vilson Farias. (Foto: Divulgação)

Com a obrigação da permanência da população de ficar dentro de casa e, consequentemente, do uso da internet, maximizado pela pandemia do Coronavírus, os crimes ditos cibernéticos têm aumentado consideravelmente no último ano.

Um tipo de crime específico vem chamando a atenção, ante a sua recorrência, o chamado “golpe dos nudes”, que acaba por criar uma extorsão por parte dos criminosos.

O “modus operandi” para este crime, sistematicamente, tem sido muito parecido em todos os casos: cria-se um perfil fake nas redes sociais (Instagram e, principalmente, Facebook), de mulheres aparentemente jovens e atraentes, as quais solicitam amizade com a vítima. Começa-se, portanto, um diálogo, passando-se para o Whatsapp, Skype ou Hangout, onde, mostrando-se a interlocutora extremamente interessante, o papo naturalmente é conduzido há um viés sexual.

A suposta mulher passa, então, a mandar nudes em fotografias ou vídeos aos seus interlocutores, pedindo para que ele faça o mesmo. É a partir de então que os problemas começam: a suposta mulher bloqueia a vítima de suas redes sociais e entra em cena outro membro da quadrilha, o suposto pai da menina, ou advogado da família e, por vezes, até mesmo um fictício delegado de polícia civil.

Tal indivíduo passa a atormentar a vida da vítima, alegando que a menina que enviou o nude seria menor de idade, de forma que, portanto, a vítima teria praticado crimes graves ao trocar fotos íntimas com ela, tais como pornografia infantil, entre outros. Para que não seja acionada a polícia, portanto, exige-se o pagamento de considerável quantia de dinheiro, a fim de não tornar público os fatos.

Em alguns dos casos, o extorsionista que entra em contato com a vítima se passa por policial, chegando a encaminhá-la falsos documentos judiciais e mandados de busca e apreensão, para amedrontar a vítima de que atitudes seriam tomadas, caso não se pagasse o valor exigido.

As vítimas desses crimes, em sua maioria, são homens, por vezes até casados e com família estruturada, presas mais fáceis de ceder para não ter seu nome envolvido em tal “escândalo”, cujas ameaças, não raras vezes, abrangem também a alegação de que as imagens e mensagens serão enviadas às respectivas esposas e filhos.

A clandestinidade que a internet propicia, somado ao frágil estado psicológico que a grande maioria da população se encontra no momento fortalece a prática do golpe, tendo, muita gente, infelizmente a eles sucumbido.

O que assusta e dá veracidade ao golpe, na maioria desses crimes, é o fato de o criminoso ter acesso a todos os dados pessoais de sua presa, hoje facilmente encontrados na internet e em sites de busca.

Tais investidas criminosas não passam de ameaças e raramente se concretizam, portanto, é importante que nada seja pago a esses criminosos. Trata-se de crime clássico do nosso Código Penal, tipificado no artigo 158 do Código Penal, praticado por intermédio de meios eletrônicos.

Tal delito, que constitui o ato de “constranger alguém” mediante “grave ameaça” para obtenção de “indevida vantagem econômica”, é punido pelo legislador com pena de 4 (quatro) a 10 (dez) anos de reclusão, dada sua gravidade.

É importante ressaltar que o “Golpe dos Nudes” não se concentra apenas no Brasil, pois já se identificou, em casos concretos, que algumas quadrilhas se encontram estabelecidas, inclusive, em países da Europa e África, dificultando-se, sobremaneira, a identificação de sua autoria.

Existem, no entanto, importantes sistemas de investigação aptos a identificar e punir esse tipo de crime, tais como a instauração da competente investigação policial, a quebra dos sigilos telefônicos, para se chegar ao número do Internet Protocol (IP) utilizado pelos criminosos e a efetiva colaboração das empresas de telefonia e de Instituições Financeiras nas investigações.

 

Vilson Farias                                                      Guilherme Martins dos Santos

Doutor em Direito e Escritor                               Estagiário

 

 

 

Referência Bibliográfica:

GOMES, Gustavo Nascimento; HOLFILING, Clarissa.  Migalhas. “Golpe dos nudes”, a nova tendência entre os criminosos. <“Golpe dos nudes”, a nova tendência entre os criminosos (migalhas.com.br)>. Acesso em: 10/11/21

ROSA, Giovane Santa. Tecnoblog. “Golpe dos nudes”: polícia prende quadrilha que deu prejuízo de R$ 2 milhões. <“Golpe dos nudes”: polícia prende quadrilha que deu prejuízo de R$ 2 milhões – Brasil – Tecnoblog>. Acesso em: 13/11/21

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome