Segunda, 23 de julho de 2018, 12:47h


Publicidade

Sicredi
Tordilho

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 617 julho - 2018

Fechar X

Ano XIII - Número 617

julho - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial 161 anos de Canguçu 2018/06

Assine


Espaço do Leitor

Artigo do leitor

03-11-2016 Cenário atual do Agronegócio

CENÁRIO ATUAL DO AGRONEGÓCIO NO VALE DO SÃO FRANCISCO

Por Pedro Vieira Souza Santos

Em suma, o termo agronegócio corresponde ao englobamento de diversas atividades produtivas que estão diretamente ligadas à produção e subprodução de produtos derivados da agricultura e pecuária.
Assim, o agronegócio brasileiro representa um setor muito significativo na economia do país e a grande maioria dos pequenos municípios brasileiros tem sua principal atividade econômica baseada nessa atividade. Fato este observado nos últimos anos. O setor se transformou em um dos grandes responsáveis por alavancar a economia nacional. Enquanto alguns setores sofrem com a recessão, enxerga-se no campo inúmeras oportunidades de expansão.
Neste cenário, surge a fruticultura irrigada no Vale do São Francisco -VSF, uma das atividades mais importantes da região Nordeste do país, cuja introdução no cenário nordestino começou a partir da década de 1960, através do incentivo de projetos de irrigação financiados pelo governo federal e também estadual, de forma a tornar viável a economia na região do semiárido. Atualmente, a região é responsável pela produção de diversas frutas tropicais, com destaque para: banana, goiaba, coco seco, coco verde, uva, manga, entre outras.
Logo, este trabalho teve por objetivo identificar e relacionar os fatores positivos ligados a potencialidade do setor de agronegócio na região do Vale do São Francisco, assim como os pontos fracos ligados aos desafios que a região tende a enfrentar.
No caso específico da pesquisa, optou-se pelo estudo de caso uma vez que a organização do agronegócio é um fenômeno contemporâneo que envolve complexas relações entre empresas e seu meio. Assim sendo, foram observados diversos pontos que influenciam a dinâmica desse setor na economia local.
A princípio, as barreiras fitossanitárias, por exemplo, contribuem para a dificuldade de exportação das frutas aqui produzidas. Obter autorização de importação para esses produtos
envolve um processo longo e de alto custo. Após a obtenção da autorização, as frutas ainda ficam sujeitas a inspeção rigorosa por ambos os lados comerciais. Como tratam-se de produtos altamente perecíveis, nessa fase, a atenção a essa característica é redobrada com o intuito de minimizar as perdas ligadas à logística do produto.
Contudo, o principal desafio do agronegócio no Brasil é obter mais investimento, tanto do setor público quanto da iniciativa privada. E, apesar de o clima e a extensão territorial do País oferecerem boas condições para o desenvolvimento do setor agrícola, os gargalos logísticos e o conhecimento tecnológico são barreiras para essa evolução. Tudo isso se soma a um cenário econômico adverso, com a alta de moedas estrangeiras e dos custos de produção, crédito escasso, juros mais altos e queda do preço das commodities no mercado internacional.
Outro ponto importante a ser considerado está ligado à dificuldade de encontrar mão-de-obra qualificada suficiente para lhe dar com culturas que requerem alta atenção no manuseio. Devido às novas exigências do mercado, uma mão-de-obra qualificada constitui um diferencial cada vez mais importante.
Pontos ligados ao armazenamento da fruta, como uso da embalagem adequada os modais de transporte até o canal de distribuição dos produtos devem ser observados e são fundamentais, pois têm por objetivo principal a conservação do produto até o consumidor final, garantindo maior qualidade, que é fator crítico para o sucesso das cadeias produtivas de frutas.
Como se pode notar, a região possui uma série de variáveis que podem ser denominadas como vantagens frente ao mercado agropecuário. Tratar das dificuldades é fundamental para o constante avanço do polo agroindustrial localizado no Vale do São Francisco. Por outro lado, reforçar e aproveitar as potencialidades mostra-se uma oportunidade ainda maior a favor dos produtores locais.
Enfim, nota-se que os produtores locais têm investido gradualmente em novas tecnologias para garantir a e atender as exigências do mercado consumidor dos frutos e, consequentemente, a boa qualidade para exportação.
O mercado abre espaço para que o empreendedorismo avance e lucre com boa parte da demanda. Desse efeito temos o surgimento de negócios criativos no agronegócio, com novos conceitos de produção, beneficiamento, escoamento e venda de produtos e subprodutos. Uma boa alternativa para os empreendedores é apostar na mudança de comportamento e hábitos de consumidores, uma vez que isso também pode resultar em ideias boas e criativas.

Pedro, tem 23 anos, é Estudante e mora em Petrolina.




Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados