Domingo, 22 de julho de 2018, 02:09h


Publicidade

Sicredi
Tordilho

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 617 julho - 2018

Fechar X

Ano XIII - Número 617

julho - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial 161 anos de Canguu 2018/06

Assine


Home Cultura e turismo

Cultura e Turismo

12-01-2018

Pelotas: A formação artística e inclusiva do 8º Festival Internacional Sesc de Música


Foto: Carina Reis/JTR Luis Fernando Parada, Evandro Matt e Silvio Bento falaram sobre o Festival

Há oito anos proporcionado um intercâmbio cultural mundial, com o conhecimento e experiência perpetuados, através de várias línguas e sotaques, mas, principalmente a música levada a uma forma de expressão e comunicação entendida por todos, o Sistema Fecomércio-RS/Sesc promove, em Pelotas, o Festival Internacional Sesc de Música.


A partir da próxima segunda-feira (15), a cidade será palco da oitava edição do tradicional evento, que acontecerá até o dia 26 de janeiro, com a promoção de 50 espetáculos e participação de aproximadamente 500 profissionais da área, entre professores, alunos, músicos e técnicos. Cumprem-se, assim, os dois principais eixos para a formação artística: o pedagógico e o sociocultural.



No pedagógico, os alunos recebem oportunidades de aperfeiçoamento, com o objetivo de se tornarem profissionais da área. Com isso, no turno da manhã, acontecem os cursos, à tarde, os ensaios, e, à noite, as apresentações, com entrada gratuita para a população.


Para que os alunos sejam atuantes ao longo dos 12 dias, serão criadas experiências junto a um pianista de alto nível e acompanhamento de professores renomados. Dessa forma, acontece a prática da exposição, o que, para o diretor artístico do evento, Evandro Matté, é muito importante. Além disso, o Festival considera relevante que os professores tenham um momento para tocarem instrumentos, com novas percepções e referências dos alunos ao ouvirem, chegando à criação do espetáculo Música de Câmara.


Também, junto ao conceito pedagógico, estão a Banda Sinfônica e a Orquestra Acadêmica. “São sempre repertórios de nível bastante elevado, onde ali eles têm a oportunidade de fazer a prática de orquestra. Com isso, a gente contempla toda a necessidade pedagógica e é por isso que os alunos saem muito satisfeitos”, comenta Matté. 


Já com o Festival na Comunidade, são proporcionadas apresentações descentralizadas - além da Bibliotheca Pública Pelotense e Theatro Guarany -, em instituições sociais da cidade, como hospitais, centros comunitários, escolas, asilos, paróquias, capelas, igrejas, catedrais e outros, com maioria dos participantes de grupos de jovens em vulnerabilidade social, formados a partir de projetos sociais do Sesc de Minas Gerais, Piauí e Sergipe, além da local Orquestra Estudantil Areal. 


Assim, é disseminada a cultura, aproximando a comunidade e formando novos públicos, já que, muitas vezes, o Festival dá a chance do primeiro contato do indivíduo com os recitais e espetáculos, além do incentivo de que participem de outros eventos culturais, algo que, para o gerente de Cultura do Sesc/RS, Silvio Bento, tem sido satisfatório. Ele conta que ocorreu uma readequação de horários para que o público possa, de fato, prestigiar, o que tem dado resultados significativos com relação ao engajamento e participação das pessoas.


Conforme Evandro Matté, a programação artística é formada, na primeira semana, por grupos convidados, neste ano com a apresentação do Ensemble Berlin, da Alemanha, na abertura, além de outras grandes atrações. Na segunda semana, apresentam-se alunos e professores que participam da edição. “A ideia artística é sempre ter uma diversificação”, destacou, complementando a intenção do Festival em ter música brasileira e de outros países para que atenda todas as possibilidades.


Além disso, o Festival retoma o gênero do Choro, que, para Matté, possui uma forte relação com Pelotas. Na Oficina de Choro serão trabalhados os instrumentos que caracterizam o estilo musical, com auxílio de professores renomados, como do coordenador da Oficina de Choro Santander Cultural, Mathias Behrends Pinto.


Estrutura e ampliação


De acordo com o gerente do Sesc Pelotas, Luis Fernando Parada, a realização do evento há oito edições proporciona certa facilidade na estruturação pelo conhecimento adquirido ao longo do período, que carrega cuidado e detalhamento em cada quesito da programação e de pessoas envolvidas para que tudo seja como o planejado. 


“É um evento que tem uma logística bem complexa, mas, pela equipe envolvida, acaba sendo distribuído de uma forma mais tranquila para organizar”, assegurou Parada, acrescentando: “Esse evento é de muitas mãos, e é de grande êxito e satisfação para nós”.


Além disso, são destaques as apresentações diferenciadas em pontos turísticos da cidade. Nesta edição, a praia do Laranjal recebe uma atenção especial, com dois espetáculos no próximo final de semana. Conforme Silvio Bento, o local foi escolhido em consequência do Theatro Guarany não estar disponível aos sábados. A realização no local, consequentemente, tornou-se um bem para o Festival, já que contribui para um possível grande público, além da grande movimentação naquela região.


Com isso, no sábado (20), acontecem no palco do Festival as apresentações dos grupos Sexteto Gaúcho e SpokFrevo Orquestra. Antes disso, na sexta-feira (19), também no Laranjal, a Banda Sinfônica do Festival - composta por alunos e professores - se apresenta, regida por Marcos Jardim.


Rua do Festival


Outra novidade do Festival para esta edição é a ampliação da programação no domingo (21), na rua Lobo da Costa, em frente ao Theatro Guarany. Segundo Bento, a ideia foi dar ainda mais a atmosfera do Festival ao entorno do Theatro, da Bibliotheca e da praça Coronel Pedro Osório. 


No dia, será montada uma tenda para a maratona de apresentações musicais, que contará com performances de estudantes, professores e grupos de câmara, das 16h às 20h30.  Junto ao evento haverá a comercialização de alimentos e bebidas.


Ingressos


Interessados em conferir as apresentações que ocorrem no Theatro Guarany podem retirar antecipadamente as entradas, que são limitadas. A organização sugere a doação de um quilo de alimento não perecível, que será encaminhada para as entidades sociais cadastradas junto ao Programa Mesa Brasil Sesc.


Cada pessoa poderá retirar um par de ingressos, por apresentação, conforme o cronograma: dias 12, 15, 16 e 17/01 - retirada de ingressos para os espetáculos de 15, 16 e 17/01; Dias 12, 15, 16, 17, 18, 19 e 22/01 - retirada de ingressos para espetáculos de 18, 21 e 22/01; Dias 17, 18, 19, 22, 23, 24 e 25/01 - retirada de ingressos para espetáculos de 23, 24 e 25/01.


Os ingressos são distribuídos na Bilheteria do Guarany, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30.


Apoios


O Festival recebe o apoio institucional da Prefeitura de Pelotas e apoio cultural da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Faculdade Senac, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Bibliotheca Pública Pelotense, Ospa, Expresso Embaixador, Arroz Extremo Sul, Biri Refrigerantes e Café 35.


Confira a programação completa aqui.


Redator: Tradio Regional



Outras notícias desta editoria

Comentários (0)





Fechar  X

Pelotas: A formação artística e inclusiva do 8º Festival Internacional Sesc de Música





O Jornal Tradição Regional não se responsabiliza pelo conteúdo do comentário e se reserva ao direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.


Serão vetadas as mensagens que:


  • Não tratarem do tema abordado na notícia;
  • Sejam repetidas as enviadas pelo mesmo leitor, ainda que com outras palavras;
  • Tenham intenção publicitária, de propaganda partidária, eleitoral ou comercial;
  • Tenham conteúdo ou termos obscenos ou ofensivos;
  • Incentivem racismo, discriminação, violência, medo ou outros crimes;
  • Promovam participação de correntes, spams ou lixo eletrônico.


As opiniões expostas não representam o posicionamento do Jornal Tradição Regional, que não se responsabiliza por eventuais danos causados pelos comentários. A responsabilidade civil e penal pelos comentários é dos respectivos autores. O usuário tem ciência e concorda expressamente com a prerrogativa de restringir quaisquer conteúdos que violem ou que possam ser interpretados como violadores às disposições do presente instrumento.

Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Fechar  X

Pelotas: A formação artística e inclusiva do 8º Festival Internacional Sesc de Música


Enviado com sucesso!

ok


Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados