Terça, 24 de abril de 2018, 05:44h


Publicidade

Sicredi
Trilegal
  Tordilho

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XII - Número 604 abril - 2018

Fechar X

Ano XII - Número 604

abril - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial 134 anos de São Lourenço do Sul 2018/04

Assine


Home Colunistas

Versão do Fato

2015-10-27 Capaz de cuidar de gente

No dia 22 de outubro (quinta-feira), estive na catedral de São Francisco de Paula, preparação da Romaria de Nossa Senhora de Guadalupe. O tema é "o leigo e Maria", experiência com relação a Nossa Senhora, mas também com a Família de Nazaré. Não sou teólogo, portanto, quando converso com grupos, falo como leigo, com vivência de Igreja, e considero José e Maria os primeiros leigos e uma das grandes inspirações para os que são consagrados pelo batismo a pertencerem à fé cristã, sem nenhuma ordem.

Em qualquer grupo, a discussão incendeia quando se tenta descobrir porque Deus resolveu encarnar na realidade do mundo, através de Jesus. Tenho uma tese: Deus queria aprender a cuidar de gente! Uma das histórias mais bonitas a respeito de "mãe" é aquela em que uma criança vai nascer e diz a Deus que não sabe falar, se cuidar, tomar iniciativas. Deus diz que alguém tomará conta dela. A criança, encantada com as maravilhas ditas sobre quem a cuidaria, quis saber o nome deste "anjo". Deus sorriu e balbuciou: "Mãe"!

É exatamente o que se aprende em família. Pai e mãe devem exercer este papel sagrado e, depois, acontece o mesmo entre irmãos: eu até posso brigar com meus irmãos. Mas pobre daquele que resolver de alguma forma brigar com eles! Nem sempre nossos gênios são compatíveis, muitas vezes estamos à distância, mas fica pra sempre o laço da família que nos gerou e apresentou ao mundo.

Santa Helena, a mãe do imperador Constantino, viveu no tempo em que seu filho reconheceu, pela primeira vez, o Cristianismo como religião. Sua conversão se deu quando uma empregada ficou doente e, como era o costume, foi colocada na rua. Depois de alguns dias, discretamente, Helena saiu em busca da moça e a encontrou numa igreja, sendo tratada. O impacto foi tanto que se tornou voluntária cuidando de outros doentes e entendeu a diferença das propostas da Religião Romana, individualista, e do Cristianismo, como proposta social.

Quando algumas pessoas dizem que perderam a fé na humanidade, porque ela é violenta e o que vemos no dia a dia é exatamente o contrário do que pregam as religiões, não consigo entender. Todas as religiões falam de paz e solidariedade. Fundamentalistas existem em todas elas, mas somente se tornam influentes pela omissão daqueles que poderiam redirecionar o sentido de suas práticas religiosas. Falar do "leigo e Maria", hoje, é lembrar que uma família, em Nazaré, há mais de dois mil anos, entregou um filho ao mundo exatamente porque sabia que Ele seria, tendo aprendido da melhor de todas as fontes, capaz de cuidar de gente!

Comentários (0)





Fechar  X

Capaz de cuidar de gente




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Manoel Jesus

Educador

manoeljss@hotmail.com

Arquivo

Publicidade

Publicidade



Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados