Domingo, 16 de dezembro de 2018, 00:49h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XII - Número 638 dezembro - 2018

Fechar X

Ano XII - Número 638

dezembro - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Agronegócio - Edição IV 2018/11

Receitas

Pêssego Trufado

Assine


Home Colunistas

Versão do Fato

2013-03-15 “Não sou dono do Mundo...”

A única certeza que tínhamos quando do início do conclave que escolheu o sucessor de Bento XVI como novo papa da Igreja Católica Apostólica Romana é de que seria um integrante da Terceira Idade, pós 60 anos. Lembrei-me disto ao preparar uma oficina para um grupo que trabalha com espiritualidade no Centro de Extensão em Atenção à Terceira Idade da UCPel, porque poderia traçar os caminhos que percorrem a fé, a espiritualidade e a religião.

Nossa primeira oficina tinha este tema: “não sou dono do Mundo, mas sou filho do Dono!”. Interessante que muitos manifestaram interesse exatamente por este motivo: não temos intensão de fazer proselitismo (convencer de que uma religião é melhor), mas trabalhar para que cada um possa viver bem a sua religião, com honestidade, sabedores que filhos do mesmo Deus!

Foi uma tarde que passou muito rápido! Trabalhamos um texto do Luís Fernando Veríssimo que, depois de problemas com a saúde, recuperado, escreveu o texto “dez coisas que levei anos para aprender”. Fala da qualidade das pessoas, das fofocas, do viver com intensidade, das amizades e de que, mesmo com idade avançada, é preciso não ter medo de inovar, fazer novas experiências.

A reflexão fluiu, pois nos sentimos, diante da espiritualidade, como pessoas carentes – deficientes – que buscam alternativas não apenas para aprender conceitos de religião. Mas, diante das mensagens do dia a dia, viver diferentemente em sociedade, fazer a diferença – silenciosa e atuante – mesmo para aqueles que, muitas vezes, foram magoados não pelas religiões, mas por alguns religiosos.

Nossas oficinas serão sempre às segundas-feiras. De cada uma delas, os participantes sairão com uma tarefa (brincadeirinha: um tema) para cumprir durante a semana. Na primeira, receberam um cartão com uma frase positiva e provocativa. Devem fazer um novo cartão, copiar a frase ou outra, entregar a um amigo ou vizinho, e dizerem que faz parte da atividade que praticam em espiritualidade. Podem pensar que não é muito, mas eles já se sentem vivendo algo diferente que, mais do que lhes dar satisfação, os leva a serem agentes positivos nos ambientes onde vivem.

Comentários (0)





Fechar  X

“Não sou dono do Mundo...”




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Manoel Jesus

Educador



manoeljss@hotmail.com

Arquivo

Publicidade

Publicidade



Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados