Sexta, 20 de abril de 2018, 17:33h


Publicidade

Sicredi
Trilegal
  Tordilho

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XII - Número 604 abril - 2018

Fechar X

Ano XII - Número 604

abril - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial 134 anos de So Loureno do Sul 2018/04

Assine


Home Colunistas

Buenas...

2015-08-10 Coluna do JC

PSDB - Verdade verdadeira

Numa bela noite de um belo dia reuniram-se, ali na Arlindo Espíndola, quatro “mosqueteiros” com a intenção de fundarem um partido político e o fizeram. Naquela noite nasceu o “PSDB”. Responsáveis? Luiz Fernando Torres Cassana, Silon Brião, Dr. Antonio Martino Sória e Reinaldo de Medeiros Ulguim, o Nanato, que foi presidente do Sindicato dos Funcionários Municipais por um bom tempo.

PSDB

Esses foram os precursores dessa agremiação política que hoje tem diversos “donos”, que agasalha de papagaio a veado, inclusive cachorrão. Sendo que esse último está por ser expulso (péssimas notas). Os que ontem andavam abraçados, hoje estão de faca na mão, só esperando a hora da “carneada”.

PSDB - Curiosidade

Dos quatro primeiros - Silon, Torres Cassana, Nanato e Dr. Antonio (Toninho) - nenhum foi convidado a ocupar qualquer cargo, foram execrados, isso após “Don Corleone” abocanhar o poder.

E aí, que tal um causo? Só mentiras é brabo

Meu amigo, caçador e pescador, “Calixtro Cambraia”, morador na Princesa dos Tapes, tinha um cusco especial. Feio era ele, mas flor de bom, cruzado com perdigueiro, tinha uma característica: quando “amarrava um perdigão ele se arrepiava todo” - perdiz era normal. Mas um dia é um dia, e nesse dia se foram até o campo do finado “Gonga”, na beira do Passo do Funil, onde havia um “pajonal” infestado de caça. Preparam um “fiambre” e se largaram com o cusco “Sarandi” na frente (esse era o nome do dito).

Por lá, soltaram a fera e já levantou caça, mas na ânsia de bolear o bicho, um companheiro afobado não esperou ele levantar voo por cima do xircal e atirou. Foi o fim. Um grão de chumbo pegou na nuca do cachorro. A caçada acabou ali, foi um ambiente de velório. O Calixtro pensou, pensou e teve uma atitude inusitada: “coreou” o “Sarandi”, levou o couro e mandou curtir; depois de pronto, mandou fazer um cinturão de caça com porta cartucho e penduricos, lembranças.

Na primeira caçada, cachorro novo, na cintura o cinto, lembrança do “Sarandi”. E não é que na primeira tocada ele sentiu um arrepio na cintura, se assustou, olhou e chorou de emoção. Era o cinto, cutucou e o perdigão saltou.

Comentários (0)





Fechar  X

Coluna do JC




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Jotac

Arquivo

Publicidade

Publicidade



Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados