Domingo, 16 de dezembro de 2018, 23:53h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XII - Número 638 dezembro - 2018

Fechar X

Ano XII - Número 638

dezembro - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Agronegcio - Edio IV 2018/11

Receitas

Pssego Trufado

Assine


Home Colunistas

Buenas...

2015-05-18 Coluna do JC

Zé e a Polca de relação Nos bailes da Campanha havia a polca de relação onde o participante, quando parava a música, dizia um verso, geralmente endereçado a alguém presente, namorada ou namorado. E num desses estava o Zé, desconfiado, olhar gacho, e numa parada, chamaram o vivente: “Ai Zé, agora é tu, e não tem dizer não”. O Zé, contrariado como gato a cabresto, resmungou: “Os meus versos são feios e vai dá rabo”. “Não interessa, vai dizê”. Ele, meio que olhando a porta da saída, mandou: “O sol se foi embora e a noite tá escura, as guria tão sem calça e nóis tudo de guasca dura”. Foi um bafafá dos diabos. Pega e larga e o mestre sala peitou o desdito: “Desfaz o verso ou te tapo na fumaça seu malcriado”. A emenda foi pior que o soneto: “A noite se foi e a la cria daqui a pouco vem o sol, as assanhadas botaro as calça e já temo de guasca mol”. Nem bem terminou o verso  pulou por uma janela já com a camisa em tira e se tapou de quero-quero.  Pintado ensopado a Vandinho e João Carlos Fogão (in memorian) Ingredientes:  10 pintados limpos e inteiros; 2 quilos de batata inglesa em rodela; 3 cebolas em rodelas; 4 tomates; Sal temperado e pimenta vermelha; 3 dentes de alho socado; 1 colher de sopa de colorau ou massa de tomate; Óleo ou banha. Preparo Forrar o fundo da panela com uma camada de batata, uma de pintado, uma de cebola e afins, sempre temperando com sal. Após completar, coloque meio litro de água pelos lados, tampe bem e deixe cozinhar. Quando a batata estiver cozida está no ponto. Sirva com pão d’água. Obs: Antes de gritar “tá na mesa”, bata na tampa da panela três vezes com um ramo de carqueja em cruz que é pra abençoar. É de comer de joelho. Que saudade desse povo.  Sem-vergonhice grossa Lugar de salafrário é na cadeia ou no canil. Tudo depende do vira-lata que pratica o ato. Parece que a Justiça acordou da sestia, na verdade tem muito mais safadeza pra vir a tona, e não é de hoje. Que tal a oficina, por exemplo? Xavante roxo Valdir, ali da sapataria na Major Cícero, 403, gente especial de primeira. 

Comentários (0)





Fechar  X

Coluna do JC




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Jotac

Arquivo

Publicidade

Publicidade



Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados